domingo, 12 de outubro de 2008

CRUZEIRO DA ANARQUIA

PLANO PARA SALVAR
PORTUGAL DA CRISE

Todos os meios de comunicação parecem não ser demais para comentarem a crise, que vai aparecendo: Há algo nunca visto, os filhos de algo, vulgo fidalgos, depois de arrebanharem muitos cobres, parecem que se desunham a segurar os cordelinhos, espremendo mais o papel, tentando que a bica da fonte não seque.
E, a malta do governo, com as suas tiradas, para nos fazerem crer, que o nosso país ia em crescendo.
Hoje (12/10/2008), em Paris, reúnem-se os líderes da Zona Euro, para debater a crise, enquanto o nosso primeiro, citado pela revista “DOMINGO”, do “CORREIO DA MANHA”, disse:
- “O Estado não deixara de fazer tudo o que puder.”
- Digo eu, naturalmente, serei mau entendedor!...
- A avaliar pelos feitos Estado, entendo que o que se queria dizer é que era necessário continuar a alagar mais a comunidade dos pobretanas, no sentido de engrossar o lóbi dos coitados, para que votem, perdendo a voz.

Será ser oportuno, postar aqui o seguinte texto apócrifo, que me deram a ler agora. Naturalmente bizarrias de algum anarca.
- Aí… se a alma do rapaz Salazar aparece por cá?!...

Como me prezo de não me considerar egoísta deixo o texto:

Passo 1:
Trocamos a Madeira e os Açores pela Galiza, mas os espanhóis têm levar o Sócrates.

Passo 2:
Os galegos, são boa onda, não dão chatices e ainda ficamos com o dinheiro gerado pela Zara (é só a 3ª maior empresa de vestuário).
A indústria têxtil portuguesa é revitalizada. A Espanha fica encurralada entre os Bascos e o Sócrates.

Passo 3:
Desesperados, os espanhóis tentam devolver o Sócrates, a malta não aceita.

Passo 4:
Oferecem também o País Basco. A malta mantém-se firme e não aceita.

Passo 5:
A Catalunha aproveita a confusão para pedir a independência.
Cada vez mais desesperados, os espanhóis devolvem-nos a Madeira e os Açores e dão-nos ainda o País Basco e a Catalunha.
A contrapartida é termos de ficar com o Sócrates.
A malta arma-se em difícil mas aceita.

Passo 6:
Damos a independência ao País Basco.
A contrapartida é eles ficarem com o Sócrates.
A malta da ETA pensa que pode bem com ele e aceita sem hesitar.
Sem o Sócrates Portugal torna-se um paraíso e a Catalunha não causa problemas.

Passo 7:
Afinal a ETA não aguenta o Sócrates, e o País Basco pede para se tornar território. A malta faz-se difícil mas aceita (apesar de lá estar o Sócrates).

Passo 8:
Fazemos um acordo com o Brasil. Eles enviam-nos o lixo e nós mandamos-lhe o Sócrates.

Passo 9:
O Brasil pede para volta a ser colónia portuguesa. A mata aceita e manda o Sócrates para os Farilhões, das Berlengas apesar das gaivotas poderem as penas e as andorinhas do mar deixarem de pôr ovos.

Passo 10:
Com os jogadores brasileiros mais os portugueses Portugal torna-se campeão do mundo de futebol!

Passo 11:
Os espanhóis ficam tão desmoralizados, que oferecem resistência quando os mandamos para Marrocos.

Passo 12:
Unificamos finalmente a Península Ibérica sob a bandeira portuguesa.

Passo 13:
A dimensão extraordinária adquirida que une a Península e o Brasil, torna-nos verdadeiros senhores do Atlântico. Colocamos portagens no mar, principalmente para os barcos americanos, que são sujeitos a uma sobretaxa tõ elevada que nem o preço do petróleo os salva.

Passo 14:
Economicamente, asfixiados por elas tentam atemorizar-nos com o Bin Laden, mas a malta ameaça enviar-lhe o Sócrates e eles rendem-se incondicionalmente. Está ultrapassada a crise!

Facílimo, hein???

Postagem de Daniel Costa

23 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Daniel:
Vima qui para dizer-lhe que voltei a fazer resenhas de filmes e que conto com a sua presença. Há poesias também.
Um abraço,
Renata

Carlos II disse...

Bem, já oiço falar em crise à pelo menos 30 anos. Mas, qual crise?

Existe de facto uma crise hoje do capitalismo, mas é uma crise de crescimento. Com a globalização há que regular tudo de novo. Pode demorar 1 década a tudo se recompor. Nos inícios de século é sempre assim. Depois há países e pessoas que não podem viver de uma forma fictícia como até aqui.

O texto é cómico. Dá para descontrair.

Mas que os tempos são maus, lá isso são.

Um abraço

Marta disse...

Obrigada - o texto é realmente para rir...
Infelizmente, a crise é verdadeira e em breve, para mim será mais pesada...
Obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Daniel.
Só rindo mesmo. Talvez assim se vença qualquer crise.

==========

Hoje é dia das Crianças e de NS Aparecida (padroeira do Brasil).
--------------

"Nada surpreende quando tudo surpreende: é o estado das crianças."
Antoine Rivarol


Que Nossa Senhora da Aparecida
proteja você e sua família
de todos os males da vida.

Feliz Dia das Crianças!

Beijos mil! :-)

poetaeusou . . . disse...

*
eu tenho uma costela (grande)
de anarca, daria com prazer,
a paternalidade a es tra frase,
,
Aí… se a alma do rapaz Salazar aparece por cá?!...
,
anda por aí, ai anda, anda ...
,
abraço
,
*

Laura disse...

Nem ele nos salvaria daniel; não te esqueças que no tmepo dele mais pobres e desgraçados havia, e ele tinha os cofres cheios e poderia ter ajudadod e outra forma, os stores nas férias grandes de 3 meses não recebeiam, ai ai ai ainda queria sisso, o meu api gostava dele e tenho amigos que ainda gostam e me perguntam porque não lhe ligo...simplesmente porque nunca fez nada por mim...e não me ajudaram a fazer um exame de 4 classe como qualquer criança, apesar de ser surda, porque eu sabia de tudo, de todas as disciplinas e memso assim! vingou-se em mim à forma dela, certo!...Aqui a crise é porque todos calamos e consentimos nesses barbarismos doentios que o governo faz e diz que faz ou nem diz que faz, mas faz mesmo, porque quer..e eles os corruptos continuam nas suas belas vidas...a tirar lugar a mais pobres que precisam desesperadamente de casas que eles ocupam..do pão que eles estragam, enfim...vá-s elá entender porque nos tornamos no Povo mais consentido!...

xistosa - (josé torres) disse...

Não li nada que não são horas de ler.
Ás horas a que me deito, devia estar a dormir.
Mas por coincidência coincidente, vou buscar a minha filha que vai num cruzeiro duma semana, pela Ag. de Viagens onde trabalha e é um prémio por ... nem sei quê.
(foi a melhor vendedora ..., pudera, com o pai e a mãe a auxiliarem ... mas a agência, - não é publicidade gratuita, a Marsans, - é das mais baratas e com um apoio total.
Bem vou à procura do boné, fazer de motorista e deixar o portátil em paz e sossego, que não são horas de trabalhar.
INTÉ!!! mais logo.

impulsos disse...

Hehehehehe...

Ora aí está um belíssimo plano de recuperação. Daniel!
Ganhavam todos e o país definitivamente saía da crise em que está mergulhado e onde todos nos esforçamos para manter a cabeça à tona...

Beijo

Jacinta Correia disse...

Afinal Sócrates é um trunfo... Tão fácil acabar com a crise. Bj e boa semana.

ANA DINIZ disse...

Pelo visto, tenho de me ajuntar à turma dos que estão sorrindo...

Ninguém sai ileso da crise, querido!

É só orando muito para não desmoronar os sonhos...


Beijos, companheiro!

Ana

Nanda Assis disse...

rsrs complicado, nada de fassilimo.
mas crise é crise, e nós somos afetados com os erros deles.

bjosss...

Pelos caminhos da vida. disse...

Crise: como ouço falar disso, mas solução para essa crise, outras no passado e outras que ainda estão por vir,hum...até qdo??

Obrigado pela visita.

beijooo.

mundo azul disse...

Crise...Crise...Crise!

Nossa, infelizmente é o que ocupa as manchetes do mundo inteiro...


Beijos de luz e o meu carinho, Daniel!

SAM disse...

Olá Daniel!


Estava com saudades de vir aqui...Mas não estava muito bem....Bom meu amigo, digo que o mundo está em crise, os países em crise, as pessoas em crise...E aqui no Brasil, há 52 anos( que tenho de vida)...Em crise. Que Nossa Senhora de Fátima te abençõe amigo e a todos os seus.

Beijos

* vou dar uma olhada no post abaixo...

xistosa - (josé torres) disse...

Não costumo ter papas na língua, quer dizer tento na cabeça e a caneta está sempre afiada.

Tenho esta rábula, mais ou menos igual, só que com o "soba" da Madeira.
Já publiquei isto há cerca de dois anos, mas como ele foi renegociado e voltou para vociferar contra tudo e todos, até do partido, tente-se com o Sócrates.

Bandys disse...

Oi Daniel,
hahaha
Solução prara a crise.

Beijos

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Daniel:
Preciso que você vá com urgência ao meu Blog e ponha um comentário no meu novo post.
Renata

Laura disse...

Bem, o meu filho e amigos estavam ha tempos a barafustar contra o dom afonso henriques por...não deixar a espanha ficar com portugal!... assim não andariamos a mendigar tanto nem teriamos de emigrar pra poder viver... ora toma, nem todas as batalhas deviam ser ganhas segundo o rapazio de agora!...beijinhos.

Mariazita disse...

Daniel
Com o Sócrates como moeda de troca, estamos garantidos!
Não há crise que aguente...
Uma noite boa.
Beijinhos
Mariazita

xistosa - (josé torres) disse...

Talvez não apareça até ao fim de semana.

Há locais onde nos sentimos como em casa.
Este é um deles, bem como a casa da Laura.

Amanhã, já tenho algo para postar, mas não poderei visitar ninguém ...
Estou com uma dor de cabeça ... que me apetece dar um tiro.

Um abração de amizade e
INTÉ!!!

jo ra tone disse...

Se não houver mais tempestades no deserto durante esta crise,...
se o bin ladn,..não acordar, superamos esta crise a curto prazo.

Ana Martins disse...

Olá Daniel,
este texto está muito engraçado, mostra bem o quanto o Nosso Primeiro Ministro SóCrates é querido pelos Portugueses.
Já o conhecia, enviaram-mo por e-mail, mas gostei de relê-lo.

Beijinhos

Carlos Rebola disse...

Este deveria ser um plano secreto, penso que para nosso azar, ele o Sócrates já conhece o plano através dos seus “informadores” e do “Magalhães” e decerto já congeminou um contra-plano, que vai furar toda a estratégia, que era boa, nós temos que o aguentar até rebentarmos, sob o peso do chumbo que ele vai tirar aos meninos (futuros Sócrates) do nono ano, a caminho duma qualquer universidade independente onde a "Jangada de Pedra" do Saramago nunca será estudada, como manual de navegação neste “cruzeiro de anarquia”. Valha-nos o outro o grego, que este não é, mas faz-nos “gregos”… é preciso estar alerta…

Um abraço
Carlos Rebola