sábado, 18 de outubro de 2008

POEMA CRISE NA FINANÇA

CRISE NA FINANÇA


Sempre assusta a crise
Do mal parece aliança
Parece não haverá dinheiro
Se algum se tem,
Entra-se no banco, empresta-se
Dizem-lhe que deposita
Agora chegou a da finança
Mais uma a tirar esperança
A quem convém
Dizem as culpas serem de todos
Só porque muitos ficam sem dinheiro
A culpa é de alguém, não será do primeiro
Coitado!...
Quem comanda é o financeiro
Ele subirá a outro poleiro
Se menos, empresta
Ainda paga, à banca, dita
Comanda a malvada
Paga a gestores pantomineiras
Dizem: o patrão ganhou boas
Somas avultadas de dinheiros
Reparte lucros, torna-os banqueiros
Criam-se novos poleiros
Exigem pagar a mais banqueiros
Não fazem nada, mas
Afluem dinheiros
Sabem explorar o aforrador
Quais mineiros
Gerem os dinheiros
Na mão uns papéis, uma ilusão
Há crise? Deu o dele
Pode pagar em primeiro
Vai ele subir a outro poleiro
Onde haja outro dinheiro
O pobre fica triste, mas paga
Não se lembrou do colchão
Tudo dava certo, ali à mão
De atalaia vigia, o banqueiro
Isento de culpas, com novo dinheiro
Outro assina na atrapalhação

Hossana ao nosso primeiro!...


Daniel Costa

21 comentários:

Olhos de mel disse...

Oie lindinho! Belo poema! Essa crise não é nada agradável, mas dá até pra fazer uma brincadeira e transforma-la em belos versos desse poema!
Bom fim de semana! Beijos

Mariazita disse...

Meu caro Daniel
A crise afecta, sim, os mais necessitados, os remediados, e os assim-assim.
Os outros, os tais do poleiro...voam para outro poleiro, e ficam sempre bem.
Os banqueiros precisam da intervenção do Estado. Coitadinhos!
Acharam que os aumentos dos lucros foram poucos!!!
Até faz vómitos!
Até amanhã, meu amigo.
Precisamos arejar as ideias...
Beijinhos
Mariazita

Nanda Assis disse...

parabéns pela escolha do tema!
super atual e muito importante.
e sabe que realmente este assunto me assusta.

bjosss...

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Oi, Daniel, meu querido amigo:
A situação descrita no seu poema não é muito diferente da nossa, aqui do Brasil. O dinheiro é escasso e faz-se de tudo para obtê-lo. Adorei o poema. Fiz postagem, apareça.
Um beijo,
Renata

jo ra tone disse...

Daniel,
Como o dinheiro também faz bons poemas.
Eu,
emprestar mais dinheiro ao banco, para os tornar banqueiros,
Isso Não.
O nosso primeiro deu a mão a outro ladrão.
Abraço

mariam disse...

Daniel,
minhas desculpas por minhas ausências...

estive a ler a continuação da "saga" de João Moisés, quão actual parece em alguns pontos... "funcionários reles e desiludidos"

tal como o poema, espelha a crise, e não será só a crise financeira, a outra, as outras crises, as dos valores...
a vida está "agreste"...

espero que esteja bem.
bom fim-de-semana
e melhor semana
deixo-lhe uma castanha-assada (é tempo delas!)
e um grande sorriso :)

mariam

Bandys disse...

Querido Daniel,

Fico muito feliz em ver seus poemas. ☺
E mais ainda quando voce aborda um tema tão atual e verdadeiro.
Muito legal, adorei.

Beijos

Menina do Rio disse...

Não vou justificar minha ausência, mesmo pq não caberia.
Adoraria ter estado por aqui, mesmo pq meu blog fez dois anos e eu nem estava aqui pra comemorar.
Quero apenas deixar meu pedido de desculpas, agradecer pelas visitas, pelo carinho, por tantos comentários e pela preocupação.
Mesmo que eu quisesse e me desdobrasse, não daria para fazer isso individualmente e terá que ser aos poucos.
Hoje quero apenas deixar um beijo e dizer que vou lendo-vos na medida do possivel.
Mil desculpas.
Estou de volta!
Um beijo imenso!

São disse...

Hossana aos desgraçados que vão continuar a pagar, como sempre pagaram!
Boa semana, meu caro.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Já comentei esse seu ótimo poema, Daniel.
Venho dizer-lhe que tenho um novo Blog chamado "Resenhas antigas", onde postei agora as resenhas de maio (Across the universe, Blade Runner, Asas do Desejo e a sinopse de Cidade dos Anjos). Eu as tinha retirado do Galeria porque ia fechá-lo. Não o fechei e a única solução para postar as resenhas de maio a setembro foi fazer um novo Blog.
Um beijo,
Renata Cordeiro

Iana disse...

Caro amigo Daniel

Foi feliz com o tema que escolheu
o post ficou quentinho... :) mais uma vez a amiga rosa leu-te com prazer...

Amigos, verdadeiros são para sempre, porque quando dois corações se unem, formando um só.

Deus se manifesta ali, através do amor e o amor é mais forte que a morte, é benigno, paciente, tudo sofre, crê, supera.

Não se ufana, nem se ensoberbece,
apenas ama...
certamente, permanece.

É bom ter a tua amizade
beijos mil
tens resposta no meu cantinhoa ao seu último comentário e tb tem coisa nova.. :)

Simplesmente adoro ser tua amiga
Iana!!!

Laura disse...

Realmente, a culpa é de quem? do vizinho? do presidente da Junta? do colega do lado? do padrinho dos filhos? já nem sei que te diga, mas que isto anda torto lá isso anda, se anda...
sabes que mais, deveria te ruma confusão nos pcs dos bancos e d etodo mundo e quem devesse a bancos ja na havia como pagar a scasas pois nada se saberia..e quem na a pudesse pagar ficava paga e prontos..os que fazem asneira ficma com mais quem é honesto perde tudo e fica sem casa, arre, paguem eles o que nos roubam...

poetaeusou . . . disse...

*
Vieram profetas
Vieram Doutores
santos milagreiros, poetas, cantores
cada qual com um discurso diferente
p'ra curar a vida da gente
e a gente parada
fez orelhas moucas
que com falas dessas
as esperanças são poucas ...
,
sergio godinho
,
abraço
,
*

Iana disse...

Ola amigo abri meu mail e logo vi seu caloroso comentário.. que lindo... obrigada mesmo amigo... Ainda não tive tempo de lhe responder mais tarde faço isso... :)

Vim apenas retribuir o seu carinho e atenção para com essa rosa amiga..
seu coração é lindo!

Então amigo, na vida dessa rosa esta tudo a acontecer, motivos de alegrias e tristezas.:(
As alegrias são muitas, pois sou feliz e muito... a única coisa que falta é a saúde, que desdo o início do ano passado abalou, e abalou muito. Pensei que iria resistir, mais foi em vão, as dores quando começa me pega de tal forma que me deixa de rastos.

Desde então tenho passado por vários tipos de exames e cada vez mais que vem exames novos algo diferente se inícia; Agora tenho mais uns pra fazer e dessa vez o coração bate mais forte, pois agora é um exame que na verdade me assusta muito e tento não pensar muito nele! :)
Tenho um problema muito sério de anti-corpus, tenho muito mais globus brancos do que o normal, e meu organismo agride a ele próprio sem defesas nenhuma.
Enfim a cada dia sua amiga rosa sente ameaçada. Mas amigo a força da família, amigos e amigos/leitores, tem me dado uma força tremenda e isso ajuda-me muito:)
Toda vez que meus problemas me diz, eu sou maior eu respondo "Deus" é maior que meus problemas:) acredito e confio. :)

Amigo já falei demais assim tens o dia inteiro para ler meu comentário :) tenha uma óptima semana

Beijos da amiga
Iana!!!

Laura disse...

Um beijinho de boa noite
um miminho e um carinho que deixa a laurinha ao nosso poeta, escritor, daniel...e vamos indo que a vida esper apor nós!...de uma forma ou d eoutra teremos que por cá andar enquanto for tempo, com boa ou má vida! será?..ji de mim...

ANA DINIZ disse...

Daniel.

Para mim, a culpa é da ganância, e ela vive em todos nós, em graus altos, em graus baixos... Vamos combater isso em nós. Quando chega a este ponto é pq muita gente já foi prejudicada...

Eu não consigo dormir sabendo que estou tirando dos outros. Eu prefiro não ter nada a tirar dos outros.

É isso amigo.

A crise é a ganância do homem em forma de colapso. Só isso. Refluxo. Feridinha aberta.


Beijos,

Ana.

SAM disse...

Meu querido amigo,

o mundo está em crise, o homem, a natureza...Todos asfixiados na mesma arca a espera de sairmos dela...

Grande beijo e linda semana.

Cristiana Fonseca disse...

Olá Daniel,
Bela escolha do tema, e belas foram as tuas palavras tecidas.
A crise que bate a porta de todos.
Abraços,
Cris

Adriana disse...

Oi, Daniel! Acredite, só agora vi que tinha comentado um poema meu. Obrigada!
Esse poema seu é muito pertinente ao tempo em que estamos vivendo. Gostei do seu blog. Muitas coisas interessantes.
Abraço, tardio, mas sincero.

impulsos disse...

Daniel
E com poesia disseste umas verdades!
Ao menos ainda temos a liberdade da escrita, pelo menos, por enquanto...

Beijo

Ana Martins disse...

Um tema polémico muito bem retratado aqui.

Mas infelizmente a crise não afecta a todos, até há quem ganhe com ela!!!

O Zé povo é sempre quem mais sofre!

Beijinhos