segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

SERVIÇO DE FILATELIA - IV

DEFEITOS EM ETIQUETAS
POSTAIS KLUSSEDORF

Os defeitos e as variedades, como bem se sabe, são um dos motivos filatélicos que atrai grande número de coleccionadores.
Em Portugal, normalmente, todas as emissões de selos postais base, onde também podem ser classificados os das máquinas Klussendorf ou das Crouzet, apresentam numerosos matizes de atracção para os aficionados pelo estudo e investigação.
Podia pensar-se que os selos que adquirimos nas máquinas, que também contam com inúmeros adeptos, não apareceriam variantes ou defeitos a motivar esse tipo de coleccionismo estudo.
Em virtude do grande movimento de correspondência enviada e recebida, tenho deparado algumas vezes com essas felizes circunstâncias.
1) Adquiri num balcão de posto de correio, selos Klussendorf, da série “Caravela Portuguesa do Século XVI”, onde encontrei etiquetas sem tarifa impressa.
2) Dias depois, encontrei outro exemplar numa carta recebida, nas mesmas condições, em que só reparei no erro, depois de retirado o selo. Limitei-me a ficar com a peça sobre um fragmento de papel, o que serve para atestar a sua circulação.
O primeiro passo, quando se adquirem selos de várias franquias, não se pode saber se a importância é baixa ou elevada. No segundo, pude supor, que o remetente pagou 40$00 de porte que era a tarifa de correio normal, se franquiado com selos das máquinas. Com outros é de 42$00.
Portanto, amigos, há que prestar atenção aos selos – etiquetas das máquinas, porque entre eles também podemos encontrar defeitos, a proporcionar sensações agradáveis.

Daniel Costa – in Crónica Filatélica, editada em Madrid, pela Afinsa – Março 1994.

2 comentários:

impulsos disse...

Olá Daniel!
Grata pelas visitas constantes aos meus blogs.

Dos selos, visto que já quase não se escreve a ninguém, só me lembro daqueles que o meu pai tinha para venda, no único posto existente para o efeito, lá na aldeia onde fui criada.
Lembro-me também daqueles que encontrava em cartas antigas, dentro das gavetas empenadas da velha cómoda de madeira enegrecida pelo fumo, lá da casa da minha avó... alguns eram defeituosos sim , pois não lhes encontrava restos de carimbo.

Beijo

daniel disse...

Olá impulsos

A filatelia do século XXI está a ser diferente.
Quem deseje ter todos os selos tem de comprar novos.
Selos antigos é a grande opção, que está a ser seguida através de leilões.
A correspondência entre filatelistas, normalmente é franquiada com selos.

Beijo
Daniel