segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

SERVIÇO DE FILATELIA - II

ERRO SINGULAR

Há pouco um amigo, filatelista meu conhecido encontrou, num lote de usados, um selo muito mais pequeno da série base D. Dinis, muito referenciada como “cavalinho”, que durante muitos anos circulou em Portugal.
O possuidor detectou-o sobre papel, quando se dispunha a ordenar os selos, depois de lavados. Pode verificar que, realmente era mais pequeno do que o normal, no entanto não estava seguro se o poderia considerar um verdadeiro erro.
Depois de o analisarmos bem pude verificar que, de facto se tratava de um erro genuíno.
Sendo, a cotização do normal muito baixa, a peça em questão deve ser considerada de importância. Pode ver-se o denteado da esquerda, parece diferente dos outros lados, no entanto comprovada a própria peça pode ver-se ser o carimbo que obstruí a visão do denteado, o que inclusive serve para demonstrar a autenticidade do erro de fabricação.
Há realmente uma acentuada diferença de tamanho, entre o errado e o normal, que tem o número do catálogo Afinsa 770.
CARIMBOS COMEMORATIVOS

Em 1993 a empresa CTT – Correios de Portugal pôs em circulação cerca de cem carimbos comemorativos.
Este número pode considerar-se exagerado, tendo em conta que muitos acontecimentos evocados, não têm a relevância suficiente, que justifique figurar em colecções filatélicas.
Há que considerar ainda, que bastantes deles são de um mau gosto atroz.
No entanto, cabe destacar o último carimbo comemorativo português de 1963, que se utilizou durante a “Mostra Filatélica de Natal 1993 – Concurso de Desenho Infantil”, organizado pelo Lions Clube de Portimão, em 19 de Setembro e que é de singular beleza.
Na minha opinião, é o melhor desenho de carimbo comemorativo do ano, com a particularidade de que mostra o engenho com que os mais novos sabem representar o Natal.
De notar também que, tristemente, junto com os envelopes de franquia paga, para os postais de Natal, produzidos pelos CTT, são os únicos que assinalaram o Natal de 1993.

Daniel Costa – in revista CRÓNICA FILATÉLICA de Fevereiro 1984, texto em espanhol, editada em Madrid pela Afinsa.

3 comentários:

impulsos disse...

Olá Daniel
Boa tarde!
Aqui estou eu de novo, a fazer a ronda das minhas visitas, onde também tens um espaço preenchido na minha agenda...
Agora falando a sério, gosto de te saber por perto, visto que o sol é já ali ao virar da esquina também, mas aqui está-se mais à mão!
Já é sabido o teu gosto e prazer pela filatelia, que eu muito admiro embora nunca tenha feito nenhuma colecção...
Vê-se que sabes bem do que falas, pois és perito na arte!

Agora umas dicas para a publicidade deste teu espaço de qualidade e de grande valor.
Acho que tens de te dedicar um pouco a andar por aí, de clic em clic, fazendo algumas visitas também e deixando a tua meca, caso contrário, ninguém sabe que existes e que vives aqui!
Foi o que fiz também, quando me iniciei nestas lides blogosféricas e hoje tenho um leque variado de visitantes e até de alguns fãs que gostam de me ler, mas como tudo na vida, é preciso algum tempo gasto e algum trabalho

Podes, se quiseres, usar os links que tenho na barra lateral direita do meu blog principal(impulsos), para fazeres algumas visitas e a consequente publicidade.


Esse selinho afinal era genuíno, só que saíu mais pequenino do que o habitual... nada que o mestre nao tenha visto!

Beijinho

impulsos disse...

Ali onde escrevi "meca", não era... deve ler-se marca

daniel disse...

Olá impulsos

Porque ando a aprender, fico muito grato pela amizade que demonstras, com as tuas dicas, que me são úteis.
Desculpa, mas já comecei nos teus favoritos. Veremos o que vou conseguir, tendo em conta que vou privigeando a outra banda.
Entretanto ando á volta de elemtos para editar aqui um policial, que já comecei a ensaiar.
Há dias começo as seis da manhã.
Gosto muito, mas muito se leste o primeiro post, terás visto, que poderei ter de me refrear mais.

Beijos
milagre-daniel