domingo, 29 de junho de 2008

RÁDIO ANTIGA

O QUE É UMA GALENA?
Muitos não saberão o que foi um aparelho radiofónico, que julgo ter sido pouco utilizado, o qual tomou o nome de GALENA.
Pensando no assunto e porque me coube o privilégio de usar um desses receptores, proporcionando-me um período de rara felicidade, nos meus tempos de juventude.
Tentarei descrever o aparelho.
Verificando vários dicionários e enciclopédias, não encontrei este nome, senão mencionando um metal como sendo um dos mais vulgares dos minerais de chumbo. Por outro lado, fazendo uma recolha, pude verificar serem os cristais de galena usados como detectores na T.S.F.
Depois destas breves pesquisas conclui, que a denominação de GALENA para o citado aparelho emissor de ondas de rádio, vem do metal galena, visto ser um pedaço desse, o principal elemento funcional da citada peça radiofónica.
Nos tempos em que utilizei o tal aparelho, porque foi na década de cinquenta, só a Emissora Nacional possuía capacidade de difusão, para se fazer ouvir com tão rudimentares recursos, que dispensava energia eléctrica. Lembro contudo de ter conhecimento da Rádio Graça, a difundir da Rua da Verónica e dos Emissores Associados de Lisboa. De certeza haveria outros, ainda não existia TV em Portugal e a rádio sendo já uma "senhora", era uma coisa de real sedução.
Por isso a GALENA era uma verdadeira atracção, até pelo gozo que proporcionava, uma vez que era um autêntico "faça você mesmo". ainda muito rapazola lidava bem com a atraente geringonça!
Primeiro estendia um longo fio desde o cocuruto de uma árvore até uma janela, que havia no sótão. Antes da entrada, três elementos de louça ligados com a ponta do fio, evitavam qualquer contacto entre a parede e o mesmo, daí derivava a ligação para o interior. Depois uma extensão segura a uma pedra enterrada no chão, fazendo a necessária "terra" a completar o exterior. Chegado o Verão, tornava-se necessário regar o chão, afim de ser criada a humidade necessária ao contacto com as ondas de rádio.
Aquilo era de uma simplicidade que, por falta de uma parte dos elementos, começou por funcionar apenas com fios, com ligações aérea e terráquia, a uma ficha cada, uma das quais ligada a um pedacinho de galena, a outra estabelecia o contacto com a Emissora, com a busca de qualquer saliência a dar essa possibilidade. Um auscultador apenas fazia chegar a emissão ao tímpano respectivo, que por sua vez só era audível com aquele elemento pegado mesmo ao ouvido.
Mais tarde chegou o resto do material, que se resumia a quatro tabuinhas, com as quais foi montada uma caixa própria encimada com um pequeno rolo de vidro, onde era introduzido o tal pedaço de galena e uma espécie de monitor, composto por um fio de forma encaracolada. Ficava mais prática, rodando a peça, a forma de entrar no som do posto da Rádio Nacional. A mesma estrutura ficava a constituir o rudimentar rádio tinha acopladas as respectivas ligações referidas anteriormente.
Evidentemente que hoje, por puro entretenimento, ainda se podia montar um destes sistemas tanto mais que já cheguei a ver apresentado um exemplar num célebre programa de televisão, que dava pelo nome de 1-2-3.
Claro que para montar o esquema, seria necessário espaço abundante fora de zonas citadinas, porque nestas é reduzido.
No entanto com a vivência dos dias de hoje não se pode pôr algo do género em equação, basta ver que a rádio de há cinco décadas, nem funcionava todo o dia, não havia ainda satélites, para se ter no ar todas as transmissões efectuadas actualmente, por tudo e por nada, em todo o mundo moderno.
Daniel Costa, in JORNAL DA AMADORA - 10/11/2005

30 comentários:

Cristina disse...

Antes de mais uma boa tarde.
Quero agradecer muito pelo seu comentário em meu blog, que para é muito importante saber que ainda existe alguém que dá o devido valor a este tipo de coisas.
Como gosto muito de poesia, também estive o prazer de ler o seu.
Que achei bastante interessante relativo á rádo antiga.
Um beijo de:
Cristina B. das Neves Bernardo
aqui directamente de Quarteira-Algarve
29 de Junho de 2008 ás 19:47

rosa dourada/ondina azul disse...

Na altura devia ser muito interessante trabalhar com a galena, pois já era um método muito avançado para a época.

Boa semana:)))

Vieira Calado disse...

Uma pequena correcção: galena não é um metal; é um minério de chumbo. Mais concretamente sulfureto de chumbo. Existe em várias minas do país.
Também tive uma galena (receptor), aos meus 15 anos.
Um abraço

camila disse...

Nossa, Daniel também é cultura! Rsrs
Não sabia o que era uma "Galena"!
Beijo
=)

Lyra disse...

Passo por aqui para te ler e reler, o que sabe sempre muito bem!

Aproveito para te desejar uma execelente semana.

Beijinhos e até breve.

;O)

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Daniel,
Vim lançar um olhar benéfico sobre teu passado com a GALENA.Sabe, por aqui, tivemos situações bem semelhantes, gostaria um dia te poder contar...uma semana esplêndida, amigo!

Bandys disse...

Daniel,
Aqui tambem se aprende.Não sabia o que era galena.

"Mais real que fazer da vida um sonho, é fazer do sonho uma vida, pois nem sempre temos a vida que sonhamos, mais sempre teremos um sonho para viver."

Um beijo e um abraço ♪♫☺♥

Ana disse...

Sabia o que era uma "galena" sem nunca ter tido acesso a nenhuma.
Espantoso olhar para trás e ver o que se progrediu neste campo.
Sempre me lembro de haver rádio lá em casa e há músicas que me fazem recuar até aos meus 5 anos.
Se me perguntassem qual foi o melhor presente de toda a minha vida eu responderia que foi o meu primeiro gira-discos:
Um Grundig portátil que ganhei quando fiz 16 anos.
Comparar isto com tudo aquilo a que os miúdos têm acesso, hoje em dia...

As memórias são como as cerejas...

Abraço

mariam disse...

"rádio galena" não conhecia! bem ... tão interessante! estive a pesquisar imagens no google!
obrigado por divulgar!
e...que privilégio/sortilégio ter uma!...

boa semana
um sorriso :)

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Daniel. Super interessante o seu post. Por causa da televisão as pessoas não pensam muito no rádio e o quanto ele evoluiu. Utilizando satélites e equipamentos sofisticados. É a base da comunicação, da notícia.
Bem eu nunca vi uma rádio de galena e para se sincera, nem sabia que tinha existido. Que bom que você nos deu esta aula! :-)

Ótima terça para você.

Beijos mil! :-)

xistosa - (josé torres) disse...

Cuidado com os Astrónomos.
estão atentos ás estrelas.
Por isso, veio dar uma lição de química.
Talvez não volte, para ler isto, por acaso tem razão, é um minério e de chumbo. E antigo.
Eu era miúdo e tinha um receptor, metido dentro duma tampa de caneta "Ero", até me lembro da marca ...
Tempos em que podíamos ter prazer em coisas tão pequenas, como receber música e notícias, num inverosímil aparelho.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo, obrigada por toda a sua solidariedade para comigo. Fiz um post para o nosso vampiro o "Ravnos", que tanto me pediu, sobre Cidadão Kane. Apareça por lá:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Um beijo,

Carla disse...

...passar por aqui também me faz aprender e conhecer novas realidades
beijos

Diva disse...

Vivendo e aprendendo... Ah...O nome Daniel Costa faz-me sorrir hehehe... nem pergunes porque.
Bjs meus

daniel disse...

Cristina

As pessoas devem sempre ser norteadas, pela procura de melhor vida. Nada melhor do que iniciar a caminhada e será o trabalho, mais ou menos qualificado, que nos conduzirá. É preciso ter em conta que a experiência, nos qualificará e nada melhor que o próprio trabalho.
Por exemplo, conheci a Galena, era muito "chavaleco", mas já trabalhava.
Depois a obrigação, levou-me aos teus sitios, de que guardo boas recordações, quando Faro era "muitaaaaa" longe e já havia um terreno onde seria implatando o aeroporto de Faro. Tudo mudou e tal como antes ou se é rico ou trabalha-se!
E fiquei sempre encantado com a o Algarve, onde acabei por ter (relativamente perto daí)familiares estabelecidos, e onde vou indo.
Podes ver o "Esquadrão 297 em Angola" (princípio) capítulo " de Faro a Luanda".
Beijo
Daniel

daniel disse...

Rosa

Para um "chaveleco" era o máximo!...
A Emissora só abria ao almoço. Aparelhos de rádio, eram de compadres!...
E também desejos de óptima semana.
Daniel

daniel disse...

Vieira Calado

Obrigado pela ajuda, rectifica.
pelo que julgo saber o aparelho foi raro.
Eu era mais novo, pelo nenosum ano, porém a minha contabilidade inclina-se mais para dois.
Reitero agradecimentos.
Daniel

daniel disse...

Camila

Pois a "Galena", para época pressupunha cultura. Como os tempos mudaram é uma curiosidade da cultura!
Beijos, Daniel

daniel disse...

Lyra

Agradeço!...
Retribuo desejo de uma óptima semana.
Aparece sempre!...
Beijinhos, Daniel.

daniel disse...

Vanuza

A "Galena" é uma feliz recordação de infância, simplesmente.
Oiço sempre, também tenho boas recordações do Brasil. Correspondência, digamos de trabalhos amadores! Mete jornais e até rádio.
Retribuo desejos de boa semana.
Daniel

daniel disse...

Bandys

Para mim a vida, só pode ser sonho e aventura. Sempre a segunda opção, para o caso de falherem os novos planos.
Talvez isto também seja poesia.
No fundo a vida deve ser encarada como um poema, para ter mais sabor.
Beijo com abraço.
Daniel

daniel disse...

Ana

Antes da "Galena", recorria-a na tardes de Domingo, a outros lados, normalmente, para ouvir os relatos da bola. A "Galena" Há muito virou peça de museu.
O gira discos era evolução, agora feliz recordação.
Os miudos, e muito bem, nascem ensinados, para os botões. Tudo é diferente dos velhos tempos passados. Há que tentar acompanhar.
Temos de recusar, parar no tempo.
É verdade memórias!... Gratas memórias!...
Abraço, Daniel

daniel disse...

Mariam

Sortigélio é a palavra. Creio que no Google, melhor do que isto, só isto e está em mitalaia, na Web aminharadio, carregas num link que há lá com este texto. Aliáz o "nik name" mitalaia, é conduzido diarimente e é diversificado. Na mesma Web abrir em SOL.
Não digas que vais daqui!...
Um sorriso e retribuo uma óptima semana.
Daniel

daniel disse...

Sorriso

Tive! Tentei descrever.
Não havia televisão!... Falava-se! Não tenho, mas na terra, vi e falei com o irmão em França, nada de admiração! O século´é outro!...
Existe a "Galena", no Museu da Rádio, em Lisboa.
Fica com a tua doa Terça e beijinhos de Lisboa.
Daniel

daniel disse...

Jose Torres

O minério é "pobre" não deve intereferir a nível planetário. De resto creio que a existência do aparelho foi efémera.
Na altura, não havia satélites.
Rádios eram de compadres, o pequeno aparelho era um achado. Portáteis creio que já só vi na tropa.
Daniel

daniel disse...

Renata

Solidariedade fosse eu!... Fazes parte dos meus favoritos e passarei.
Um beijo, daniel

daniel disse...

Carla

Oh deuses!... Será que sou idoso?... Falar de velhas experiências, para mim, será uma agradável nostagia.
Deseja-se, estas recordações, sejam partilha.
Beijos, Daniel

daniel disse...

Diva

Em Lisboa, onde passava todo o mundo, o nome só podia meu. Mais tarde na lista telefónica, igual ao meu, ate agora só o meu.
Daniel Costa, havia outro. Um dia um engano e soube a profissão do outro, Saube de que se tratava. O eu Daniel Costa, apareceu num anuário em Londres há cerca de doze anos. Continuo a receber correspondência da Coreia, por exemplo.
Tenho a mania do exclusivismo, tenho em muitas particularidades nesses sentido, mas fiquei cheio de curiosidade. Dizes?
Bolas!... Considero-te com Bjs, Daniel
P.S. Se for segredo, sou um um túmulo!

jo ra tone disse...

Galena,
Bem gostaria de ver uma foto.
Esse minério também é componente dos cristais dos rádios de comunicação?
É que eu fui viciado durante algum tempo em rádios CB banda do cidadão.

daniel disse...

jo ra tone

Se não sabes, vais a aminharaio, que antes escreves no Google e pesquisas na Web. Penso que será o mais adequado ao teu caso.
Consedero-te
Daniel