quinta-feira, 17 de julho de 2008

FIDALGUIA NO PORTO

CONFRATERNIZAÇÃo

No dia seguinte à festa de noivado, a seis de Abril de 2008, o casal constituído por Jorge e Né, aproveitando a deslocação dos familiares desta, ao Porto, para a festa matrimonial do seu filho Jorge, juntaram as famílias e ofereceram um lauto almoço de confraternização.
O anfitrião, que o bem receber, era-lhe reconhecido refinaria o esmero nesta agradável recepção, com contou com os Cordeiro Costa, familiares próximos da Né, idos de Lisboa e arredores, do Bombarral, da Coimbrã e da Bufarda, Peniche.
Do Porto, estavam presentes os Montenegro Chaves, familiares do Jorge, mais os simpáticos pais da noiva, e os próprios noivos, uma outra festa onde a amizade esteve sempre patente, como era tradicional.
A ementa principal, era constituída por um divinal arroz de gambas. Antes aperitivos de variadas espécies, mesa farta, capaz de agradar aos mais exigentes paladares. Vinho de colheita antiga, da própria garrafeira do anfitrião, que a vai revitalizando e acariciando, como se de um tesouro se tratasse.
Para culminar, um Porto velhíssimo, também da garrafeira própria, que era servido de garrafas de cristal, apropriadas, o que lhe realçava aquele sabor digno de ser degustado por apreciadores, como certos bons escritores policiais.
De facto um néctar, com a dignidade de fazer parte da garrafeira de um conhecedor Montenegro Chaves. Um daqueles de cheirar requintadamente, beber um pequeno gole e sentir-lhe o agradável paladar, voltar a sentir-lhe o maravilhoso aroma, depois de novo o divinal sabor.
Deus no céu, e aquele vinho do Porto cá na terra!... E foi assim, que Deus foi louvado por aqueles Montenegro Chaves, que ao mesmo tempo honraram as famílias.
Um encontro inesquecível!
Como confraternização, não haveria melhor, para fechar com chave de ouro a aliança, entre pais e familiares dos noivos.
Ao fim e ao cabo, todos ficaram honrados, mas os pais e noivos em especial, não podiam desejar melhor festa de parabéns!
E honra para o Jorge, que se sabia ser bom anfitrião, porém terá havido, de facto, esmero especial!
Sinceramente, obrigado Jorge!...



Um Miminho...

Este lindo miminho oferecido pela Naela!!!
Obrigada amiga

DE FACTO, A NAELA, TRANSMITIU-ME O MIMO.
DADO, NÃO O TER CONSEGUIDO POSTAR, FICO ETERNAMENTE GRATO.
DEIXO OS NOMES ESCOLHIDOS.

A amizade vai para os seguintes:

Laura
José Torres (xistosa)
Sorrisos
Bandys
Menina do Rio
Bandys
Olhos de Mel

45 comentários:

Natyx Lisboa disse...

brigadaaa pelo comentarioo!
AI QUE TEXTO CHOQUE RS...

adorei blog...e qnd quiser volte sempre nu meu viu?

beijosss

poetaeusou . . . disse...

*
porto fidalgo
,
bem-hajam
,
conchinhas,
,
*

gasolina disse...

Mais uma crónica fantástica e cheia de fascinio, que para mim Porto é único e saber apreciá-lo é uma dádiva.

Muito Bom!

Beijos Daniel

Laura disse...

Bem, já cá tenho o miminho chapadinho na cara e agora? ehhhhh, nems empre sabemos mecher na net como deve ser e daí!...
Beijinhos na mesma.
Excelente crónica para o jornal de Domingo...
Bonito. Beijinho.

Laura disse...

Ahhh e por hablar no Porto fidalgo, um casal amigo de Vila real numa das suas visitas aqui para me ver quando das minhas saidas do Hospital, trouxe-me uma garrafinha de vinho dos Padres! Toma lá... E eu nem a deixo abrir, há-de ser aberta numa bela ocasião...Vou ler o rótulo e já cá ponho...Ahhh, é vinho generoso (não seja deus generoso para os padres) de garrafeira particular, pois não era?...do Seminário do Espirito Santo, Godim, Régua... Ahhh há-de ser aberta na hora, quem sabe no meu 3º casamento ehhhhh, nunca se sabe estou tola hoje e parece que já abri a garrafa antes de escrever, mas tá fechadinha a sete chaves.. e já disse ao marido que nem lhe toca que ele bebe as garrafas de Porto todas...aos bocadinhos no fim de jantar e quando vou eu á garrafa fica a olhar e assim...esta é minha...ehhhh, vai um cálice ó daniel? à nossa amizade... Beijinho da laura..

Laura disse...

ressalvo a palavra mecher que é com um x ou seja; mexer...perdão...laura..

SAM disse...

Olha que esta leitura me fez sentir o sabor do vinho do porto. Eita, acho que vou tomar um tiquinho agora para brindarmos também o mimo e a partilha com os amigos!

Grande beijo, Daniel!

paula barros disse...

Vim agradecer sua visita e seus comentários.
Lendo seus textos, muito interessante. abraços

Anja Rakas disse...

Parabéns pelo mimo...mereces!

Humm...um texto...doce.
Vinho do Porto..minha perdição.
Ocorrem-me pensamentos orgasmicos quando tento sentir o sabor ausente do Vinho do Porto.

Bjs angelicais

a casa da mariquinhas disse...

Senti-me perfeitamente integrada na festa!
Saboreei desde os aperitivos até ao digestivo...
A hospitalidade portuense, aqui tão bem retratada, não deixa margens para dúvidas.
Óptimo texto.
Beijinhos
Mariazita

Parisiense disse...

Vim fazer uma visita depois de ter lido o relato da vinda de Angola, no "Resteas de Sol"......e gostei do que li......como angolana que sou tudo o que diz respeito a essa terra me interessa....
E já agora vi que é colecionador de selos....trabalhei nessa area durante 12 anos em Paris....

Beijokitas e se me deres licença voltarei.

♀ Venus disse...

Vinho do Porto, Vinho tinto, vinho Português, Sul-africano ou Italiano.
Vinho é uma bebida divina.
Parabéns pelo momento vivido.

Meu caro Daniel,
Acho que fizeste confusão ao fazeres referencia a Anja Rakas no meu blog. Mas aceito as palavras com muito carinho.

Beijoka e um excelente final de semana

Maria Laura disse...

Uma delícia!
Bom fim de semana.

Laura disse...

Ah, por uma nina falar no vinho Sul Africano, lá faem um Port Wine que parece quase o nosso Porto, mas não é...
Vai um copito agorinha antes do almoço? Bem, nem apetece muito, um cinzanito talvez, mas há que tempos nem o faço, vou enchendo da rotina e das coisas certas...Quem sabe mais logo saía uma caipirinha mas não há limas cá em casa de resto há tudo, mas cadê limas aqui pertinho?...aquilo mata a sede e mata o juizo também, raramente bebo mas quando me dá e vai mais uma!...Beijinho, ahhh adorei ver a nina aprisiense por cá, ela é de Benguela e mana d euma amiga minha muito querida, aliás nasceram as dua slá..e por falar em selos tenho imensos de há muitos anos guardados prá i...de Angola Brasil Espanha e muitos mais lugares quando a gente escrevia e nos respondiam e agora lá se vão os selos que falamos todos pelo pc...

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Oi, meu amigo:
Postei sobre um filme meio desconhecido, porém lindo.
Apareça quando puder:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

daniel disse...

Natyx Lisboa

Se gostei comentei, como vés simples. Espero passar mais.
Também ficas convidada.
Deixo beijo.
Daniel

daniel disse...

Poetaeusou

No Porto é assim, sempre fidalguia!
Daniel

daniel disse...

Gasolina

Bom bebedor, mas pouco e Comida, ou bebida, gosto de lhe sentir o sabor o que diz alguma coisa.
Grato.
Daniel

daniel disse...

Laura

O miminho, foi boa votade, mas saíu postagem da ilustração. Tenho de testar e praticar, eu hem!...
Agradeço a tua boa vontade.
Daniel

Bandys disse...

Ah Danirl.
Obrigado pelo mimo.
Belo texto. Deixo pra voce uma mensagem

Hoje é o dia certo para você:
Amar , Ousar Produzir. Acreditar,
Sonhar, Ser Feliz
Quem realmente vive e ama,
não faz apenas o que pode
Quem vive, realmente
transguide, ultrapassa, vence fronteiras,faz cada vez mais por si e pelo próximo
Viver é amar de verdade,
como se não houvesse outra chance,
como se o amanhã fosse hoje

Viver é Amar valorizando
Cada pessoa como uma nova chance de ser feliz Cada risco como uma oportunidade de aprender
Cada dia como um presente de Deus!

Aproveite hoje para mudar sua vida!
Tome uma atitude!
Mexa-se!
e seja Bem Feliz neste dia!!!


Beijos

daniel disse...

Anja Rakas

Um bom Port Wine, julgo saber saboreá-lo, não o sabia afrodisíaco!
Beijos
Daniel

xistosa - (josé torres) disse...

Daniel

Sinto mágoa quando oiço falar de vinho do Porto da África do Sul, da ´Califórnia ou da Austrália.
Felizmente que eles, os que fazem e os que falam, não sabem o que é "VINHO FINO".

Esta é a designação do néctar, o resto, desculpe o termo, é merda, para vender ao incauto ...

VINHO FINO do Douro

Podemos estar ás portas do céu ou do inferno ... mas um cálice deste ... dá vidas consecutivas a um ser em estado de coma.

Só uma coisa.
O vinho fino do Douro, bem assim como os Whiskys, por muito sexy, fino, elegante, com finess, e outras porcarias que tais, não quer cristais ... é que estes contem chumbo ... isto dizem os provadores.
Eu quero é beber ... não muito, mas um dos bons ...

A sua visita LAURA, que não confunda o vinho de missa, que é feito em Espanha, com o vinho do Porto, ou Vinho Fino do Douro.
Nada têm em comum ...

Só que o vinho de missa é vinho de missa e muito, mas muito diferente do outro.
O néctar dos Deuses.

Não comentei o post, o vinho saltou-me das órbitras.
Quem não me conhecer. pensa que sou um borrachão.

Compro por ano, 20 garrafões de vinho e mais de 2/3 são para as petiscadas que faço com os amigos.
Em casa, nunca bebo vinho ... mas se for almoçar e jantar fora, já não lhe perdoo.

Cada maluco tem as suas manias ...
Amigo Daniel ...
Vou entrar em velocidade de cruzeiro ... talvez até ao fim de Agosto, se o governo me pagar o que devo receber.
A 1200 km de casa, em Espanha, gasto menos do que aqui ...
Vou aproveitar os últimos Verões ... nunca se sabe quando acabam ...
Vou levar o portátil ...
Mas como não sei colocar fotos ... depois apareço.

para já vou girando por aí ...

Um bom fim de semana.

Ela que me desculpe, mas muitos confundem-no.

Agora vem directo de Espanha, nem sei como é feito, mas é adocicado e não tão alcoólico.

NADA DE CONFUSÕES !!!!!!!!!!!!!


MALDITAS LETRAS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Maria Dias disse...

Oi Daniel...

Passando aqui especialmente para agradecer-lhe a delicadeza da poesia.
Adorei! Tu escreves mesmo muito bem!

Beijinhos

Maria

daniel disse...

Laura

Há quem diga, que a celebração da missa é feita com o melhor vinho. De facto mistura-se água a fingir de sangue. Estraga-se a água!...
Antes de ter passado a Angola, participei na fabricação de vinho, julgo que aprendi a respeitá-lo e fiquei a apreciá-lo, procendendo ao teste de inspirar odores.
Cheguei a pensar possuir a minha garrafeira, mas apareciam amigos e ia gastando, até que deixei de fazer renovação!
Um beijinho
Daniel

daniel disse...

Laura

Nem repararia, não sou miudinho e também faço cada um!...
Daniel

daniel disse...

Sam

Pouco e bom, não esqueças!... E a vida tem mais sabor!...
Ip... urra!...
Deixo beijo.
Daniel

daniel disse...

Paula Barros

Obrigado pela atenção.
Abraços
Daniel

daniel disse...

Mariazita

Foi como disse, o rapaz Montenegro, é amigo, sabia-se, mas desta vez levou o esmero e o requinte, mais longe. Terá vivido uma festa, a que deu muito sentido de carinho, por motivo de estar tudo reunido a honrar a satisfação de ver entrar um novo membro na família.
A garrafeira é mesmo boa!...
Beijinho
Daniel

daniel disse...

Olá Parisience

O que viste mo "resteas de sol" é apenas um capítulo, de um grupo "Esquadráo 297 em Angola", aqui postado, nos meses recentes, foi proposto a editoras, para edição e livro e aguarda alguma resposta. É o dia a dia de um militar, com créditos no meu diário pessoal, da Guerra em Angola.
De selos, sem encómios, fui editor filatélico e fui correspondente em Lisboa da Crónica Filatélica, que a Afinsa editava em Madrid. Terminou com o colapso da empresa.
Serei que no país, segundo a contas minhas, quem mais terá escrito filatelia.
Conduzo o Serviço FRANQUIA, muito regulamente, do blogge mitalaia. Para ver basta escrever mitalaia no Google, clicar, e... acesso!
Ficas condidada!...
Beijos
Daniel

daniel disse...

Véus

Seja, como fôr Port Wine, só há um, mais nenhum. Diz que bebe pouco, mas tem soboreado bom.
Os que falas, tudo bem, mas quem conhece, sabe que há apenas imitações, satisfatórias, mas imitações.
Concerteza fiz confusão, peço desculpa! Saberás porquê.
Retribuo beijo e desejo de bom fim de semana.
Daniel

daniel disse...

Maria Laura

Simplesmente agradeço, retribuindo desejos de bom fim de semana.
Daniel

daniel disse...

Laura

Era boa hora para aceitar, um "cinzano". Não sei se ainda há, mas faz de conta!
Vinho generoso, nenhum encontrei que igualasse o Porto.
De selos já respondi a amiga pariense, ter trabalhado na área, é referência. Ela sabe, que todos têm valor, mas há os Cracks e os outros.
Deitei, há pouco, fora centenas de centos, emassados em molhos de cem!
Agora correspondência com selos, só não é mentira total, pirque recebo muita de filalistas que, selam filatélicamente. Por outro lado, como jornalista especializado, recebo novos, de várias Administrações postais, algures no mundo.
Um beijinho
Daniel

Laura disse...

Xistosa, o amigo que falou dos vinhos!...
Não quiz com isso armar-me em sabedora de vinhos e trocar os nossos melhores pelos de outro Pais onde vivi!...
Falava do que chamavam de vinho do porto da África do Sul e até se não me engano, se falou aqui nos jornais pois a África do Sul queria ter referências iguais etc etc, nem eu concordei, o que é nosso é só nosso!... Mas para quem não podia comprar do nosso Porto Fino, uma vez que fica caríssimo a quem o compra lá, já que vai de cá para lá, contentavamo-nos com o Porto deles que lá também tem bons vinhos...
E o vinho dos padres não vem de Espanha,(pelo menos os de Vila Real e arredores!) é dos padres finos daqueles lados, e foi oferecida por um grande Senhor da Igreja... Assim nada de conflitos por causa disso, mas vindo de Espanha aquele néctar de que já me tinham falado tanto? Não me parece!...
Ahhh e aind anem a abri e depois honra seja feita, beberei à saúde do daniel e à sua a ver a que sabe!... e direi a verdade, claro..e tome lá um beijinho e nada de amuarmos por causa do vinho do porto de fora!...

Laura disse...

Então sentemo-nos debaixo da velha árvore frondosa, percorridos no corpo pela doce e suave brisa de fim de tarde, ergamos nossos copos meados de cinzano com duas pedras de gelo e uma boa casca de limão, e brindemos à amizade que mesmo virtual é para mim um regalo para a alma!...
Um beijinho e um belo fim de tarde neste dia de sábado...
Laura..

Laura disse...

Ah, sobre os selos, falava de que agora raramente se escreve a não ser cartões de natal ou de convites para festas, pois é tudo feito via net, mais cómodo, não é preciso ir aos ctt e ficar lá mais d euma hora por vezes, para enviar uma simples cartinha!... Os meus selos são de há anos e nem sei onde páram, sei que estão guardados e espero que nãos e tenham perdido, pois há coisa de 4 anos choveu torrencialmente aqui e o rio transbordou (moro ao lado do rio, já que não tenho casa na praia ehhh) o rio galgou as margens, subiu, atravessou a estrada e ninguém deu por nada...o muro caiu so tinha cimento nada de arames a segurar e...a água chegou ao tecto e ficou tudo em lama, assim nem seis e lá estavam nos caixotes que tinha ainda embalados, e os meus livros às centenas desde pequena que os tinha e comprava grandes colecções, foi tudo água acima e não água abaixo, para o lixo... pelos livros chorei, pelas coisas materiais não, o livro é ciência para mim...Beijinhos, mas se recebes correio é bom, mais que bom...

daniel disse...



Já tive o prazer de me deliciar com o teu roteiro. Em suma, do teu interessantímo poste.
Força, miúda!...
Um beijinho
Daniel

daniel disse...

Bandys

Obrigado pelo conselho, incentiva, mas sabe a minha natureza é a do amor por tudo.
também amo muito o que os bons amigos têm para me dizer e procuro amá-los, nesse particular.
Ouvi e deixo agradecimento na forma de um beijinho.
Daniel

daniel disse...

José Torres

Para mais ou menos conhecedores, Vinho do Porto só há um, o da primeira região de vinho, demarcada do mundo. Quem "amanhou" vinho, em toda a linha conhece porquês. Por exemplo, o criado no "fanrrão de baixo" era inferior ao de cima, logo junto.
O problema dos tipos de terrenos, das castas e de muitas coisas, presentemente, mais estudadas, por especialistas.
Sabia algumas coisas, do requinte empregue na fabricação e castas, etc.
No mês nterior passei, pela primeira vez, na região e melhor compreeendi o porquê da genuidade, do internacionalmente famoso Porto, criado no Alto Douro.
Propaganda é propaganda e o Vinho do Porto é o da Região dos socalcos do Douro e ponto final.
Passando a Espanha, lá está: "Espãna és diferente"!
Daniel

daniel disse...

Maria Dias

Ousei dedicar-te especialmente o poema que fiz recetemente, porque estive muito de acordo, com o teu post e ache-o adequado.
De resto, destina-se a publicar no semanário JORNAL DA AMADODA e aqui.
Deixo aqui um aceno de simpatia e um obrigado.
Beijinhos
Daniel

daniel disse...

Maria Dias

Ousei dedicar-te especialmente o poema que fiz recetemente, porque estive muito de acordo, com o teu post e ache-o adequado.
De resto, destina-se a publicar no semanário JORNAL DA AMADODA e aqui.
Deixo aqui um aceno de simpatia e um obrigado.
Beijinhos
Daniel

mariam disse...

pois... era assim no "tempo da fidalguia" e parece que também!

gostei.

um sorriso :)

daniel disse...

Laura

O José Torres, é um bom "companhon de route", sabe bem que o vinho de Porto, não se pode cunfundir com outros, que também podem não ser maus, mas não passam de tentativas de emitação e acabam, por ser mais acessíveis monetáriamente.
Grandes escritores, pelo menos Ingleses, o referênciaram nas suas obras. Não é por acaso, naturalmente, souberam apreciá-lo.
O resto é sentir o aroma de um vinho, de colheita, do Porto na terra, porque esse é o verdadeiro néctar dos deuses dos céus.
Daniel

daniel disse...

Laura

E porque não, brindarmos, neste fim de tarde de sábado, de canícula, acolhidos na protectora sombra de uma árvore, com um vermoute, fresquinho com muito gelo e casquinha de limão e a amizade sempre em movimento?
Acrescentemos um beijinho e vida será agradável.
Daniel

daniel disse...

Laura

Os livros foi perda irreparável, do meu ponto de vista, que a eles devo muito. Consdero-os bons amigos amigos, tenho bastantes com dedicatórias de autores, que se tornaram amigos, por via do trabalho.
Selos, como tenho, alguma correspondência filatélica, quando é preciso vou ao correio abaste-me. É giro, porque a mais parte das funcinárias sáo amigas.
Também há amizades, na Adimistração de Filatelia.
Ao fim e ao cabo, tenho o nome num Anuário Internacional de filatelia, como editor da especialidade.
Se me achares, pouco modesto, estás enganada, mas desculpa!
Com muita sensibilidade, deixo beijinho.
Daniel

xistosa - (josé torres) disse...

Amigo Daniel

Não me meto em discussões na minha casa, quanto mais em casa alheia.
Mas antes de tudo, o agradecimento que não lhe fiz.

Quanto ao vinho de missa, o tempo passa e nós ficamos parados ..., mas envelhecemos e não nos apercebemos.
Conheci, na Rua das Carmelitas, no Porto, o "fornecedor oficial", do vinho de missa, que ia comprar a Vigo, (Espanha).
Isto em 1968!
E fornecia para mais de MIL, (1000), "clientes" directamente e agentes.
Tinha na zona ribeirinha de Gaia um armazém, donde "exportava" para mundos e fundos ...

Há precisamente 40 anos ...
pois é ... hoje já não há pirolitos, (ainda se lembram?) e o vinho de missa ... será igual?

Tudo evolui ...

Eu compreendo que o vinho do Porto não seja um "exclusivo" nosso .... basta ver o que se vê á venda nos supermercados lá fora ...
Então por espanha, é uma vergonha as marcas só exportarem porcaria, daquele quase feito a martelo, que se utiliza para fazer caldas de sonhos,, rabanadas e outros molhos ...
Até o mercado inglês que nos absorvia grande quantidade, agora não sei ... se se procurar só se vende os "Velhotes", um Calém miserável, ou umas borras da Nieport.
Isto contou-me o m/filho que, por não beber, me perguntou qual era o melhor, para levar a uma festa com uns gregos, em Manchester.
(Está a trabalhar para o Serviço Nacional de Saúde Inglês, bem como gregos, espanhóis, romenos e doutros países, onde não há dinheiro nem emprego. É médico dentista. E por muito que critiquemos o n/sistema de saúde, só há pouco tempo é que Estomatologia, em Inglaterra, faz parte do sistema de saúde).
Por isso, o n/vinho, não tem saída, nem colocação, certamente que o da África do Sul, Califórnia e Austrália, serão muito superiores ...

Fui eu que parei no tempo.
Penitencio-me ... talvez até i vinho de missa seja mesmo um "vinho Fino do Douro", daquele que nem cheiramos ... é que os padres, já agora uma ferradela ... eram a melhor profissão do nosso país .

Vejam os "carrões", (dos novos!!!), as visitas surpresas que fazem, as amizades e não gastavam um tostão e nem pagavam impostos ...

Não são vidas amarguradas de solidão ...

Vou acabar de beber ... um café e lamento que tenho sido pouco explicito, causando dissabores à sua visita, "Laura".