quarta-feira, 9 de julho de 2008

PARA LÁ DO MARÃO... III

JERUSALÉM DE ROMEU

Romeu é sede de freguesia, do concelho de Mirandela. Dela apenas 30l residentes fazem parte.
Porém ir a Mirandela e não tomar conhecimento visual da sua antiguidade, de ir tomar um refeição no seu antigo restaurante “Maria Rita” de seguida visitar o Museu de Antiguidades contíguo, observar a paisagem circundante. Atrevo-me a dizer: “É como ira Roma e não ver o Papa”.
De facto, almocei no “Maria Rita”, no dia 05/06/2008, na primeira vez, que passei na região Transmontana.
Não negarei que cultivo o prazer da mesa, faço-o moderadamente. Nessa base a refeição, para mim foi sempre um ritual, uma condição que ali o restaurante satisfaz plenamente, senão veja-se:
Tudo ali está muito bem planeando na antiguidade, que se pode respirar plenamente. Logo na parede da sala de entrada uma placa grossa de madeira diz assim:
“… CHEGUEI À POVOAÇÃO DO ROMEU ÀS 4 HORAS DA TARDE DO DIA 18 DE MAIO DE 1874, PROCUREI UMA ESTALAGEM E ENCONTREI A ÚNICA QUE LÁ EXISTIA E QUE ERA A DA SRª. MARIA RITA, QUE, POR SINAL, NADA TINHA QUE NOS DAR DE COMER. MANDEI ENTÃO ASSAR BACALHAU ACOMPANADO, A PRIMEIRA VEZ PARA MIM DE PÃO NEGRO DE CENTEIO…”
CLEMENTE MENERES
( C ) Daniel Conde 2005
Sentados em cadeiras, a uma mesa, na sala a seguir, com toada de linho e guardanapos do mesmo tecido. A própria sala decorada, entre os vários adereços antigos, continha ainda o seu ancestral forno de lenha.
Domina a ancestralidade, consubstanciada na própria apresentação da ementa, cujo aperitivo principal, é um pequeno pratinho quadrado, de uma alva brancura, contendo azeite, para molhar no pão.
Foi escolhido o prato principal – “Bacalhau à Maria Rita”. Consiste naquele peixe desfiado em pedacinhos de couve, passado pelo forno. Numa próxima visita degustarei o “Bacalhau à Romeu.” Outro item para considerar.
Acompanhou um óptimo vinho, própria Quinta.
À saída, numa outra sala, mais propriamente um salão, uma grande mesa oval serve para uma maior enchente, que se dará mais nos meses de Verão, ou para festas diversas. Decoração sempre à antiga.
Segundo o casal que nos levou ao sítio, pela morada de proximidade, tem ido ali de vez quando emquando, declarando, que a estalagem existe desde há quinhentos anos, por ser local de passagem de espanhóis e naturais de Bragança, sede do Distrito.
Depois uma visita ao “Museu de Curiosidades” contíguo, onde estão patentes automóveis antigos, telefones, gramofones, grafonolas, aparelhos de rádio, relógios, bicicletas, biciclos, máquinas de costura e por aí fora. Tudo dos primórdios e dignos de ser apreciados.
(“Foi preponderante a acção e a generosidade da D. Maria Isabel Bacelar para a abertura do Museu de Curiosidades".
“Clemente Meneres foi um homem influente e de grande inteligência e empreendimento. Oriundo da Vila da Feira, negociava em vinho e cortiça para a Europa e Brasil, tendo empreendido viagens ao Brasil, Norte de África e Médio Oriente, tendo um seu stand participado na Feira de Osaka de 1903. Com o sucesso e crescente aceitação destes produtos, procura não só comercializar como produzi-los também. Nesta sua demanda, chega pela primeira vez a território transmontano em 1874, procurando por supostos sobreirais subaproveitados, acabando na zona do Romeu. Pouco tempo passou para que adquirisse esses sobreirais, e fundasse a Quinta do Romeu à qual se seguiria a Companhia Meneres. O seu interesse pelo cobre ainda as vinhas e os olivais, que adquire e melhora. No Romeu monta ainda uma fábrica de rolhas de cortiça, toda esta exploração existe ainda, sendo visível o IP 4, que corre ao lado desses terrenos, considerado os mais ricos de Trás-os-Montes, de onde sai azeite reconhecido além fronteiras.
Foi depois deste empreendimento que Clemente Meneres se percebeu da importância vital de poder escoar de forma rápida os seus produtos, e, depois da Câmara Municipal de Mirandela se mostrado interesse em trazer o comboio à Terra Quente Transmontana, fez todos os esforços possíveis para exercer pressão com a sua influência e da Associação de Comércio do Porto para que esta obra se concretizasse. Mais tarde, a via-férrea chegaria finamente às portas da sua Companhia no Jerusalém do Romeu, em Agosto de 1905, ficando a estação do Romeu de frente para o seu armazém, permitindo a carga e descarga de matérias e produtos. Não obstante, deixou ainda uma Escola Primária, para a qual alojou e contratou professores, e oferecia o almoço às crianças.
Por tudo isto a linha do Tua não seria o que foi e o que ainda é, sem a intervenção enérgica deste homem de negócios, com uma visão decidida sobre o futuro.
NOTA: Este último texto está numa web da Internet e será devido a Daniel Conde, nome que se encontra gravado entre um traçado retangular e que escrevi acima. O mesmo vem na respectiva tábua a finalizaz.
Daniel Costa

34 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*
para lá do marão . . .
começa o reino celta,
,
optima prosa,
,
abraço
,
*

Iana disse...

Ola querido Daniel...

Obrigada por ter me dado a honra e deixado em meu jardim seu carinho e sua presença... seja benvindo sempre o meu jardim esta de portas abertas para ti com carinho...

belo texto caro amigo...
também gostei muito...

Beijos amigos

Iana!!! Eu voltarei

PS: Convido-te para fazeres uma visita em www.vidas-interrompidas.blogspot.com

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

DEsculpe-me, querido, mas ainda não consigo ler na íntegra. Gastei todas as reservas num post que fiz hj. Já que não posso ficar sem fazer nada, senão olho no espelho e me vejo magricela, 39 quilos, por causa da quimio, resolvi fazer algo aqui. Enquanto coleto material para "Bonequinha de luxo", postei sobre o filme "Sombras de Goya" que em Portugal ficou como no original "Os Fantasmas de Goya". Apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,

PS: Traduzi um soneto de Shakespeare e pus no post

lurdeskida disse...

Oii vim retribuir e agradecer a visita.Gosto muito de poesia e de uma boa conversa.Beijinhos kido e apareça mais vezes é muito bem vindo.

xistosa - (josé torres) disse...

De todo o território é a parte que pior conheço, se bem que, Beira Alta, Beira Baixa, Alto e Baixo Alentejo, aos anos que não viajo por lá, de+pois de ter conhecido todos os recônditos onde existia uma indústria, mesmo que fosse só um tear, um pequeno lagar, ou uma grande fábrica.
em Portugal por Valença.
Era um hábito que tinha na Páscoa, mas que vicissitudes várias, não mo têm permitido.

Por sinal, em Mirandela, comprei as piores alheiras que comi até hoje.
Almocei, salvo erro no Restaurante Costa do Sol, será?.
Já lá vão uns anitos.
Gosto de ler os seus roteiros minuciosos.

Também gostava que a linha do Tua fosse activada ... mas no nosso país destrói-se e quando se pensa, já é tarde.
Veja-se o que fizeram com as linhas dos eléctricos no Porto.
Tenho testemunhas do que disse há alguns anos.
- "Estão a arrancar tudo e ainda se vão arrepender".
Foi certeiro ...

Bandys disse...

Oi Daniel,
Gostei da parte da comida e de ter falado no Brasil.

Te deixo beijos ♥ e um sorriso ☺
Agradeço suas visitas tão importantes pra mim.

Anja Rakas disse...

Confesso que sou leiga quando se trata da geografia de Portugal, visto que só ai fui quando tinha 5 aninhos :) ... uma bebe fofa, dizem as línguas que eu era!
Mas adorei a prosa...ta..comestível :)

Bjs angelicais

Mariana disse...

Obrigada por tua presença sempre tão querida no meu pedacinho.
Bons dias pra vc.
Beijo da Mariana

Mariana disse...

Esqueci de dizer, te linkei por lá.

CATARINA POETA disse...

Esta leitura me aguçou ainda mais a vontade de conhecer Portugal e suas entranhas repletas de belas histórias. Beijo!

NAELA disse...

Daniel mais um formidavel texto,imparavel na forma como consegues transmitir imagens tão bem descritas!
Falar de um restaurante com quase 500 anos e de um lugar que faz parte da historia, é caminhar num roteiro fantastico!
Parabéns;)
Beijinhos

Maripa disse...

Obrigada,por me ter visitado no "meu mar".
Volte sempre,ficarei feliz.


O Marão tem muita beleza para ser apreciada. Gostei muito de ler o seu texto... dá-nos as pinceladas necessárias para apreciar melhor e querer revisitar os lugares deste país,tantas vezes mal tratado....

Abraço carinhoso.

daniel disse...

poetaeusou

Pois começa, não terão passado pa cá!
Abraço, Daniel

daniel disse...

Iana

Uma vez bem recebido, volta-se sempre. A amizade é um bem, que se deve sempre prezar e cultivar.
Espero e agradeço com beijo.
Daniel

Ana disse...

Mais uma visita que tenho a agradecer, Daniel.
Eu sou uma apreciadora da nossa cozinha regional.
Menos... bacalhau, de que só gosto, como direi?
DISFARÇADO...
Bolinhos de bacalhau, bacalhau à Brás, bacalhau desfiado e por ai...
Nos jantares de Natal estou sempre em minoria.
É a vida.

Abraço

Pipinha disse...

Olá Daniel, obrigada por mais uma visita e miminho que me deixou.
Volte sempre que desejar, é muito amável.
Bom final de semana com muito carinho, paz e alegria.
Beijinho.

jo ra tone disse...

"Para lá do Marão, mandam os que lá estão"
Gostei do texto, gosto destas histórias do mundo rural, porque me faz viajar a imaginação para estas bandas.

Abraço

daniel disse...

Renata

Passa sempre, que quiseres e possas, enquanto espero e desejo, que te venhas recompondo bem.Beijinho
Entretanto já tinha visto o teu novo guião do filme, sobre Goya, o que me agradou, como sempre.
Beijinho
Daniel

daniel disse...

Lurdeskida

Já aqui editei poesia e editarei mais, se bem que, embora gostando, não é a minha especalidade a fazer. Sobre conversas, crio que sou um bcadinho locaz.
Poderás continuar a ver-me, enqunto também ficas convidada.
Retribuo o beijinho, Daniel

daniel disse...

José Torres

Passei apenas agora e gostei e como qual jornalista de serviço, nunca dispenso um bloquinho. Depis tiro uns apontamentos.
Tenho passado um pouco pr todos os sítios, do Algarve ao Minho e ao fim e cabo é interessante conhecer de tudo, porque em todos os lugares se encontram pontos de interesse.
Cá por coisas, com a barril do crude em alto constante, por vezes penso, se os comboios não voltam a ter certa predominância, por exemplo o do Tua. A vapôr seria impensável, mas a electrificação.
Daniel

daniel disse...

Bandys

Talvez não saibas, que muitas das grandes fortunas do norte de Portugal, foram feitas na Brasil, não terá sido o caso.
A condição, para as minhas visitas é o gostar do género e depois habituo-me a simpatizar com quem o pratica.
Em troca vai um beijo.
Daniel

daniel disse...

Anja Rajas

Com 5 anitos, não te deves lembrar muito, efectivamente. Sobre a boa mesa, daí dizem maravilhas.
Mas um sítio de 500 anos é obra. Respira-se um ambiente muito acolhedor, o que para mim tem muita importância.
Não comestíveis, mas bjs.
Daniel

Anja Rakas disse...

Li Maria Rita e lembrei...

"Ouvi dizer
que teu olhar ao ver a flor
Não sei por que
achou ser de um outro rapaz
Foi capaz de se entregar
Eu fiz de tudo pra ganhar você pra mim
Mas mesmo assim...
Minha flor serviu pra que você
achasse alguém
Um outro alguém que me tomou o seu amor
E eu fiz de tudo pra você perceber
Que era eu...
Tua flor me deu alguém pra amar
E quanto a mim?
Você assim e eu, por final sem meu lugar
E eu tive tudo sem saber quem era eu...
Eu que nunca amei a ninguém
Pude, então, enfim, amar... vai!"
Maria Rita - A Flor

a casa da mariquinhas disse...

Olá, Daniel,
Para além de vir agradecer a tua visita, vim também conhecer o teu blog, que considero muito bom.
Este texto está muito interessante, descreve perfeitamente o que, infelizmente, é cada vez mais raro encontrar: a preservação do "antigo", do autêntico, do genuinamente português.
Conheço relativamente bem Trás-os-Montes, assim como o resto do país, mas foi muito bom recordar.
Voltarei com mais tempo. Há aqui muita coisa interessante para ler.
Beijinhos
Mariazita

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo, ontem eu estava num estado que à noite tive que ir ao médico, pois nada me parava no estômago. Anteontem estava com 39 quilos, ontem à noite, com 37. Gastei minhas últimas economias na contratação de uma enfermeira que parece um gigante, mas que me transporta no colo e cuidará da minha alimentação parental. A F@ pediu para eu fazer a resenha de "Fale com Ela".
Apareça:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,

daniel disse...

Mariana
OK, foi um prazer!
Aqui é tarde! creio que devo desejar bom dia mesmo.
Beijo, Daniel

daniel disse...

Mariana

Passarei!... Daniel

daniel disse...

Catarina Poeta~

Tudo o que se vai conhecendo, abam por ser mundos de encantar. Há-os cá lá. O desconhecido seduz sempre.
Beijo, Daniel

daniel disse...

Naela

Este roteiro, que desconhecia, trouxe-me encantos. Numa penada e pausadamente, viajei um pouco. Um restaurante de 500 anos e manter a tradição, não para se ir sempre.
Romeu, pareceu-me coisa do outro mundo, metida neste, dá para entender?
Obrigado, beijinhos.
Daniel

daniel disse...

Naela

Este roteiro, que desconhecia, trouxe-me encantos. Numa penada e pausadamente, viajei um pouco. Um restaurante de 500 anos e manter a tradição, não para se ir sempre.
Romeu, pareceu-me coisa do outro mundo, metida neste, dá para entender?
Obrigado, beijinhos.
Daniel

daniel disse...

Maripa

Conhecendo um pouco de todo o país, nunca tinha passado a Guarda. Agora posso afirmar ter corrido tudo e como sabia, muito fica ainda para conhecer.
Voltarei com prazer.
Outro!... Daniel

daniel disse...

Anja Rakas

E... posso guardar a flor?
Gostei dela e ela não sabia, ou era eu que nem reparava?
Gostei da tua Maria Rita!...
Daniel

daniel disse...

Rariazita

Reaprendi a escrever e faço-o com muito gosto. Se gostas tudo bem, será uma compensação. Se o que faço achas interessante, além do "Lisboa Café", em prepação, para apresentar a editoras, aqui hoje no 3º
capítulo, haverá diversificação.
A região transmontana, a que nunca tinha ido, fascinou-me.
Volta sempre!
Bijinhos
Daniel

daniel disse...

Renata

Não serve de consolo, sofro pelo meu semelhante!
Isto é o intróito, para te revelar, que fui entregue á família, com uma lista de lares, dedicados a estados terminais, onde acabaria os meus breves dias e estou cá. Por isso, com propriedade, este bloggge tem o "nick nime" de daniel milagre.
Desejo ver-te recuperar, valeu? Forcinha vá!...
A F@ pediu-te e aparecerei.
Um beijo de estímulo.
Daniel