domingo, 13 de julho de 2008

SERÁ NOSTALGIA

NOSTALGIA

Doce recordar, Será magia?
Será a doce nostalgia?
Será a doce lembrança?
Do amor de algum dia
Do amor que não esqueceu
Um amor que não morreu
Gravado sempre ficou
Jamais deixar de recordar
Essa ternura de amar
Recordar esse farol
Como marinheiro do alto mar
Deuses!... Como consola amar
Ternura que se estendeu
Esse alto mar não perdeu
A ternura, a nostalgia, a esperança
Sempre o acto de muito amar
Pensamento a navegar
A nostalgia nunca vai minar
A grande ternura de amar
Esperança e nostalgia,
Podem encerrar magia
O tranquilo acto de amar
De alguém que está a regressar
De novo o alto mar
Por perto seria mais fácil amar
E, de novo a doce nostalgia
De ter amado alguém um dia

Daniel Costa

34 comentários:

azul disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
azul disse...

é "O tranquilo acto de amar"

abraço.

Diana Borges disse...

Agradecendo a visita, ao meu blog.
Aproveitando e me agraciando das tuas palavras, "belas palavras"

O que o poema tem de nostalgico, tem de intenso.

"Por perto seria mais fácil amar"
(essa frase diz muito a mim)

Beijo!

Crisfonseca disse...

Lindo poema, encanto e me perco em tua escrita, seja ela poetica ou em conto.
Peço lhe desculpas pela ausência estou desenhando a cidade do Cairo, ha muitos detalhes que estão me ocupando no momento.
Beijos,
Cris

rosa dourada/ondina azul disse...

Mesmo num amor que passou,
fica uma suave lembrança :)))


Beijinho,

Laura disse...

E eu que o diga
Que deixei um amor
No lado de lá do mar
E quando quis regressar
Já não pude lá voltar...

Ahhh é para acompanhar!...
E que tal, conhecias o Ogando?

Linda poesia e lindos os nossos amores de então que ainda nos queimam o coração e a chama ainda arde quando os recordamos...
Beijinho da laura..

Laura disse...

São 21.04 como é que deu 13.o4?O relógio anda de candeia às avessas?...

xistosa - (josé torres) disse...

Gosto de ler e não gosto de comentar poesia.
Mas como o faço, até em "amigos e amigas" comuns, seria uma falha grave não o fazer.
Gostei.
Amar e amor é até morrer ... doa a quem doer.

Só não pode ter horas marcadas nem pré-concebidas ... amar quando apetece ...
A vida até é diferente!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

LIndo poema. Nostalgia é dor, saudade não. Meu amigo, fiz um post que era só para mulheres, mas que com umas adições é também para homens. É sobre James Franco, os 100 anos de Guimarães Rosa e os 5o de Grande Sertâo: Veredas.
ESpero-o:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo da convalescente Rê

Mac Adame disse...

E assim fica demonstrado que o autor destas prosas também dá o seu pezinho na poesia. Muito bem!

poetaeusou . . . disse...

*
nostalgia,
a saudade com futuro ...
,
belo poema amigo,
,
abraço
,
*

Maria Laura disse...

Esse "acto de muito amar" é algo que não devemos nunca perder.
Um poema que embala.

Idylla disse...

Lindo texto...
Pois eh Carlos é um grande artista mesmo, ameii essa homenagem q ele me prestou, achei que ficou identicoo!!!
Q bom q gostou tb.

Um beijos =*

Camila disse...

E COMO DIRIA O TEATRO MÁGICO: "TODO DIA DE MANHÃ É NOSTALGIA DAS BESTEIRAS QUE FIZEMOS ONTEM."
ADOREI.
BEIJO
=]

daniel disse...

Azul

E aconteceu!...

Abraço

daniel disse...

Diana

Se comentei, é porque gostei gostei!...
A nostalgia fica, como grata recordação. A intensidade será do próprio temperamento.
Beijo
Daniel

daniel disse...

Cris

Além de, artisticamente, tabalhares muito bem, és bondosa na apreciação. Agradeço!
Imagino!... Oxalá seja mostrado aqui.
Beijos
Daniel

daniel disse...

Rosa

Há coisas, que não esquecem, fica a agradável memória, efectivamente.
Beijinho
Daniel

daniel disse...

Laura

O amor da juventude é de facto mais ternurento e quando a recordação fica gravada, é agradável rever na memória. Talvez se sinta ardor no sentimento, apenas isso.
O caso relatado, em jeito de poeminha, tem a ver com Angola, daí o alto mar e o navegar.
Já falei no Ogando.
Consideração e beijinho.
Daniel

daniel disse...

Laura

Engraçado, nuca me acinteceu isso com relógios!
Reitero consideração.
Daniel

daniel disse...

José Torres

O amor define o homem e comanda a vida, mesmo que pensemos o contrário.
É a sensibidade a mover-nos.Para amar não há horas, de facto.
Daniel

daniel disse...



Como gosto de visitar-te, já o tinha feito, mas fico grato. Gostei!
Obrigado por tudo e continuo contigo no pensamento, votando por uma eficaz recuperação.
Daniel

daniel disse...

Mac Adam

Fica demonstrado que, por vezes é necessário, dar outras voltas para desanuviar. Brincar, jogando com palavras, pode sair um poema.
Daniel

daniel disse...

Maria Laura

O acto de amar, embala o mundo e segundo algumas biografias, motivou obras grandiosas, para a posterioridade.
Daniel

daniel disse...

Idylla

Para já obrigado.
Depois achei que o artista tratou bem o teu retrato, um honra!
Um beijo
Daniel

daniel disse...

Camila

Bem comparado, amar é tudo mais a magia do teatro mágico.
Obrigado, Beijo.
Daniel

daniel disse...

Poetaeusou

Por lapso, aconteu ficares no fim. Sendo o último o primeiro, digo que é mesmo saudade com futuro! Oxalá ainda dure bastante o que ficou numas palavras.
Abraço
Daniel

Gy Camargo disse...

E quem nunca amou dessa forma, saberia realmente o que é o amor...

Anja Rakas disse...

Parece contagioso a nostalgia...
Parece contaminoso...
Parece uma das melhores sensações que temos...

Bjs angelicais...
P.S. gosto daqui..é leve!

Laura disse...

Ai moço; pois ainda sinto saudade daqueles namoricos tão puros e sem malicia, só amor, amorzinho puro e eu que talvez por ser surda, mas timida e envergonhada era, mas que lindas recordações e que belos poemas vou fazendo á conta disso...
É a vida e como passei lá os melhores anos, sinto que ali foi a terra da minha felicidade...
Um beijinho e um abraço da laura..

daniel disse...

Gy Camargo

Seja como fôr, descreveu-se o amor vivido, embora se tivesse de aportar a outro porto. Valeu a grata recordação!
Daniel

daniel disse...

Anja Rakas

A nostalgia pode ser agradável sensação, como é o caso.
Bjs, Sempre angelicais e virtuais.
Daniel

daniel disse...

Laura

As saudades, ficam se sáo agradáveis, mas partiu-se para outra e questão arrumada. O que fica é a suave recordação intimista.
No meu caso, só agora a inspiração leva a poemas.
Acho agradável recordar, apenas isso, faz parte da memória!
Beijinho
Daniel

Paula disse...

Bons textos por aqui.
Encantada!

Abraço