sábado, 5 de julho de 2008

FIGURA INESQUECÍVEL (Brasil) . I

AMÉRICO TOZZINI
Na verdade há pessoas marcantes na nossa vida. É o caso do Américo Tozzini. A amizade não chegou a este século, segundo julgo, o motivo foi a inevitável viagem ao mítico mundo dos falecidos. Afinal sabia que estava já na presença de um homem de idade avançada, por outro lado a sua escrita denunciava decrepitude.
Mas devo render-lhe a minha homenagem, porque ao iniciar-me como Director e Editor de uma revista filatélica, logo recebi o apoio dele. Alguém de longe e enquadrado em assunto tão especializado, como é do vasto mundo comunitário da filatelia.
A minha intenção era abranger tudo o que fosse comunidade de língua portuguesa, incluindo o Brasil. E daquele país estendiam-me logo uma mão.
De facto o Tozzini fazia uma coluna especializada no Jornal de São Paulo e o "Cinco Minutos com a Filatelia", no programa radiofónico "Pulo do Gato", da Rádio Bandeirantes.
Passei a receber, entre o vasto correio, regularmente o daquele amigo, sempre com as novidades brasileiras do âmbito e o importante estímulo.
Passou a tomar iniciativas, sem me consultar, fazendo publicidade à minha publicação, com a oferta de assinaturas aos ganhadores de um concurso que promovia no "Cinco Minutos com a Filatelia" mencionando a Revista e promovendo-a entre os muitos jornalistas brasileiros da especialidade, que nas sua colunas da especialidade lhe faziam referência. Numa pasta especial guardo os recortes, que me pareceram mais significativos.
Fazia muitos comentários, a propósito e atirava expressões, como fulano é daqueles que se "põe em cima do muro, espera que a procissão passe, para saltar para a frente". Achei este dito o máximo, adequava-se perfeitamente às pessoas em questão, segundo fui conhecendo melhor a comunidade do dirigismo filatélico.
Como Director, em tudo o que escrevia, usava o pseudónimo de Miguel Foz, por admiração familiar, talvez como homenagem, sobre isso escreveu: "Você com um nome tão machão, como Daniel Costa não precisa nada de pseudónimos". O pseudónimo estava devidamente registado e lá lhe expliquei os meus porquês da utilização.
Cheguei, mesmo a ter uma pasta especial onde arquivava essa vasta correspondência. Actualmente mantenho vários documentos e são bastantes, por serem peças de filatelia.
Por fora das cartas, sempre me referenciava, com as palavras Jornalista, ou Editor.
E uma inconfidência, em poucas crónicas que me remeteu usou o pseudónimo
Durante cerca de trinta anos, durou a troca de correspondência, até que se calou.
Daniel

26 comentários:

Marta disse...

Entendo...pessoas que contribuem para a nossa auto-estima, para o nosso desenvolvimento/descoberta como pessoas...
Gostei do texto e obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

Diva disse...

Eh... A vida como ela e...nos redescobrimos sempre em pessoas e formas dessas...
Bjs meus

Bandys disse...

Daniel,
Primeiro adorei saber que é extremanmente descomplicado, Rsrrs
Ja tinha quase essa certeza.

Gostei. Sempre bom lembrar pessoas que nos foram de alguma maneira inesquecivel.

Trouxe pra voce um presentinho pra alegra teu ♥

Da sua miga brasileira
com carinho

Olhos de mel disse...

Oie lindinho! Bela homenagem, viu? Infelizmente o caminho mais certo de todos é esse. Mas ficam as lembranças e a sensação da companhia.
Bom fim de semana! Beijos

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Daniel. "Você com um nome tão machão, como Daniel Costa não precisa nada de pseudónimos". Gostei e concordo... :-)
É bom quando encontramos pessoas que nos dão apoio e nos empurram para o alto. É melhor ainda quando esse encontro se transforma em uma bela amizade.
Linda a sua homenagem a esta figura inesquecível.

Um maravilhoso fim de semana.

Beijos mil! :-)

Maria Flor disse...

E como as pessoas nunca vão só, deixam sempre um pouco de si, e levam um pouco de nós!

Lindo o texto! E obrigada pela visita!

beijocas!!

Mac Adame disse...

Há pessoas que nos marcam para sempre, não é?

Lyra disse...

Olá,

Chegou a atura de eu tirar umas férias :O)))

Entretanto deixei, no meu blog, um “presente” para todos os meus amigos. Espero que gostem!

Tudo de bom para ti.

Beijinhos e até breve.

;O)

xistosa - (josé torres) disse...

O que se aprende e lê, com isenção por aqui.
As relações desinteressadas do ser humano, que tão arredias andam nos últimos anos.
O apoio e divulgação longínquo de quem não nos conhece.
Eram coisas que talvez nunca mais voltem
Só uma coisa.
Guardou as cartas que recebeu do Brasil?
"Juntei" selos durante muitos anos.
Um tio, oferecia-me o envelope do 1º dia e uma colecção completa no seu interior. Tudo dentro dum envelope, duma espécie de celofane ou papel cera, nem sei ...

Um bom domingo.

daniel disse...

Marta

Tozzini, sem sombra dúvida, tinha por força, de marcar-me. Agradecimento, não +e favra vã, para a minha sensibilidade.
Beijos, Daniel

Pipinha disse...

Olá Daniel, obrigada pela visita e pelo miminho deixado no meu cantinho. Tenho uma correcção a fazer-lhe e desculpe, não me leve a mal, mas é que não gosto que me troquem o nome, o meu nome é Pipinha e não o que escreveu.
Vou voltar aqui depois para ler com calma, hoje vim só agradecer-lhe.
Bom resto de Domingo com muito carinho, paz e alegria.
Beijinhos.

daniel disse...

Diva

Realmente, é a vida! Também quem empatise, no caso, poderá ter sido pela maneira de apresentar o produto.
Bjs, Daniel

daniel disse...

Bandys

Podes pôr mais descomplicado. Se vens com coração carinhoso, sou sensível, como viste o exemplo.
Tive prazer e retribuo, de Lisboa, com carinho.
Daniel

daniel disse...

Olhos de Mel

Uma figura com infuência na nossa vida, merece tratamento especial. Houve sempre colaboração mútua, por diversas vezes e por décadas.
Beijos, Daniel

daniel disse...

Sorrisos

Incondicional apoios, creio que, tinha a noção de ser mais velho e conhecer já o meio. Havia mais intercâmbio filatélico, com o Brasil e isso infuenciava as relações pessoais. Por exemplo uma senhora do Correios de São Paulo, veio cá e veio cumprimentar-me, a seu pedido.
Um sorriso e um beijinho.
Daniel

daniel disse...

Maria Flor
Evidentemente que, com quem falamos deixa um pouco de si. Mostras sensibilidade para entender essa verdade pura, de que também partilho.
Obrigado com um beijo.
Daniel

daniel disse...

Mac Adom
A vida também é feita desses bons encontros!
Daniel

daniel disse...

Lyra

Ide, serás esperada e naturalmente, com desejos de que sejam muito boas.
Beijinhos, Daniel

daniel disse...

José Torres

O que guardo são outros objectos de correspondência, como aerogramas, Que os correios emitem. Havia-os mais também a taxas mais baixas para reformados. De resto, tem em conta que filatelia é tudo o que é a história do correio.
Digo isto, mas na Internet andam bastantes escritos da minha lavra sobre filatelia, até no princípio do Blogge daniel milagre.
Vou também conduzindo o "Serviço FRANQUIA". Está em mitalaia: Escrevendo-o, entra-se numa Web e clica-se no SOL.
Só sabendo de que série se trata, te poderei adiantar mais sobre possíveis valores do que recebeste. Tanto pode ser valor considerável, como banal.
E pela minhas contas, terei sido quem mais escreveu filatelia em Portugal.
Um amigão aquele Tozinni!... Realizar uma publicação, como em todo acto de escrever, exige trabalhar-se em solidão. Diria gostosa solidão e receber cartas estimulantes, são como que, incentivos à imaginação, pelo menos quando se é novato.
Daniel

daniel disse...

Pipinha
Apresento desculpas, vi a "gaffe", mas tarde demais, para emendar. Só não levo a mal, mas até agradeço que o menciones.
A porta fica sempre aberta, enquanto retribuo a alegria num beijinho.
Daniel

Anja Rakas disse...

Perdoa usar palavras de outrem...

O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que tem medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno.
William Shakespeare

Bjs angelicais

daniel disse...

Anja Rakas

O pensamento de William Sakespere tem razão, a mesma que o elevou à eternidade. Não há comparação de grandeza, mas é a realidade.
Bjs, Daniel

Sara disse...

É sempre um prazer lê-lo... sabe bem e ... não sei definir, mas sinto uma alma alegre, ao mesmo tempo nostálgica, mas com um sabor especial
Obrigado pelas palavras deixadas no meu cantinho humilde mas aberto e sempre à sua espera
Abraço

Maria Dias disse...

Existem lembranças que estarão sempre em nossos corações.E quando damos a sorte de encontrar pessoas que nos empurram para frente aí sim os laços nunca mais nos deixarão...

Convido vc ao meu espaço.Boa semana!

daniel disse...

Sara

Parece que acertas no perfil. De facto procuro observar e recordo, porém nunca me chegou o vagar para estar triste.
Para mim recordar é viver e nada de dizer: ò tempo volta atrás.
Abraço, Daniel

daniel disse...

Maria Dias

Creio que se terá dado um caso de empatia, baseado em algo de novo, em que o meio no Brasil esteve muito atento. Por exemplo, crei um slogan e para meu espanto, o mesmo apreceu a carimbar o verso duma cata, que chegou do do grande país do Sul.
Porém estes laços ficaram para durar.
OK! Daniel