segunda-feira, 15 de setembro de 2008

POEMA BRASILIMENSO

IMENSO BRASIL

Para avistar o Cruzeiro do Sul
Viajo para lá do Oceano azul
Salto à Praia de Copacabana
Em sonho, vou até à de S. Vicente
Quilómetros além da cidade Paulista
Onde aportou, primeiro Álvares Cabral
O marinheiro, o grande Senhor
Aí começou Vera Cruz
Como o Tozzini escrevia
Radialista, mas não Doutor
Ali teria sido rezada a primeira missa
Mais tarde a exótica madeira
Inspirou o actual nome, outra bandeira
De muitos amigos, vinha a informação
Era tudo, como um enlevo, uma canção
Recortes de jornais, que arquivei, com emoção
Que será feito desses amigos do coração
Os que recebiam e falavam da Franquia
A D. Edna, o Alex Picanso, o Centeno
O Catta Preta, o Barbedo
O Lauro Natali, o Barros
E vários outros, que o Américo Tozzini
Era como se fosse avô, não ficava quedo
Bastantes recortes de jornais
Nos meus arquivos e anais
“Os Cinco Minutos com a Filatelia”
No programa “Pulo do Gato”
Da Rádio Bandeirantes,
Lá estava a inesquecível Franquia
Era o grande Tozzini que fazia
Que será feito desses amigos de um dia?

Daniel Costa

34 comentários:

Carla disse...

que bela esta viagem pela imensidão brasileira
boa semana

Maria Dias disse...

Que bela viagem a tua Daniel!

Bela imagem que fazes deste nosso imenso país!Sim o Brasil é um país de sonhos mas infelizmente nem tudo neste país é sonho...Aproveito para convidar você a vir até o meu espaço pois tenho um assunto sério para tratar.

Grande abraço

Maria Dias

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Daniel, meu Sábio Amigo!
Convide-me, me chame onde eu estiver para ler e absorver essa sua experiência...Estarei aqui, sempre!
Sabe, desde aquele infausto episódio de desentendimento que foi sanado, fiquei a meditar sobre as relações entre nossos dois povos e também pensei: vou ainda escrever sobre a minha visão particular sobre as famílias portuguesas no Brasil, desde a infância: o português da padaria, tão simpático, risonho, com seus deliciosos doces na vitrine, amigo íntimo dos meus pais; o português da quitanda que conseguiu educar bem seus filhos e tinha uma filha médica, moça bonita, a Maria...Eu vou tentar, te prometo. Não com essa capacidade e estilo que tens, mas à minha moda, ao meu jeitinho bem brasileiro, risossss.
Tantas lembranças teu texto me despertou, tanta emoção que me pergunto: onde foram parar os bons portugueses da minha infância?
Boas lembranças! E não deixe de me cutucar, me chame mesmo!
Beijinhos matinais para o Novo Amigo Lusitano e "virtual", nosso Grande Daniel do Milagre do Amor entre Brasil e Portugal!!!
Obrigada!

pin gente disse...

perguntarão o mesmo de si!

abraço

Anja Rakas disse...

ahh..um bom lugar..para encontrar..Copacabana..
Não me considero fã do Brasil...mas deste escritor q se denomina Daniel...SIM.
Beijos

Laura disse...

Os teus amigos; alguns estarão onde os deixaste, é que por vezes é um esforço enorme pegar na pena e escrever!... Outros decerto já partiram, mas de modo algum te abandonaram, mais te vêm e te sentem, uma vez que te visitam sempre que puderem vir ao lado de cá!...
Conheço o Brasil, S. Paulo, Belo Horizonte, Brasilia e a parte quase toda da Goiânia Goiás, e é lindo, pena ter tantos morros e favelas tanta pobreza e me encheu de tristeza ver as mulheres carregando grandes pesos na cabeça ou nas mãos, depois de sairem do onibus a caminho de casa, onde apenas tem tijolo e cimento, e muita muita falta de asseio nas ruas, mas, é assim por enquanto e um dia quem sabe, tudo se trasnformará graças a pessoas de boa vontade que lutrão para erradicar a pobreza das favelas!... e do mundo!.
Abraço da laura.

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia !

Bela viagem Daniel.
Amo meu BRASIL.

beijooo.

Cadinho RoCo disse...

Agradeço sensibilizado homenagem que faz ao nosso Brasil país irmão, ou filho, do nosso querido Portugal, posto que por parte de mãe tenho meu sangue tingido pela origem lusitana.
Cadinho RoCo

daniel disse...

Vanuza

Como normalmente escrevo a realidade, posso dizer que, não há passagens ficcionadas, nem nos nomes.
Alguns sei, que já não estão connosco, como o meu grande amigo Américo Tozzino, que me escrevia muito amiúde. Na sua correspondência (guardo variada) tratava-me como a um neto. Seguiu sempre escrevendo-me, até que se calou!... De facto fiquei a dever-lhe muito.
Já agora, ficas a saber que fui um modelo, no filatelismo jornalistico brasileiro. Que o maior intercâmbio cultural entre os nossos dois países, era filatélico.
Tudo mudou, a emigração que se processava daqui para o Brasil, virou em sentido contrário. Segundo julgo saber, a segunda comunidade estrangeira aqui é já do país irmão.
Lisboa está já muito povoada de brasileiros.
Efeitos do espaço UE!...
Beijos
Daniel

Bandys disse...

Oi Daniel,

Muito lindo! Amei. Copacabana-Rio- Brasil, é aqui que estou.
Tenho uma ligação muito forte com Portugal, meu avô era Portugues.
Amo o Brasil infelizmente ainda existe dois BRASIS!

Querido amigo,
aproveito pra lhe dizer que na sexta dia 19 eu opero o braço estarei em recuperação por 1 mes. Estarei lendo, e aguradando visitas dos amigos la no esconderijo, mas digitarei pouco ate a recuperação.

Beijos
PS Sobre teu comentario, me deixa feliz... ☺

Thiago Brummer disse...

Que belo texto.
Bela viagem.
Quanto aos amigos... fico com a frase: "Amigos nunca se separam, apenas trilham caminhos diferentes!"
Beijo

Camila disse...

Daniel, você sempre se supera.
Adorei essa viagem...
Linda.
Amigos... tente não esquece-los com o tempo!
Beijooo

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Daniel:
Eu ouvia o Pulo do Gato todo dia, porque o meu pai ligava o rádio e ainda me lembro de muitas coisas. Muito bonito o seu gesto de fazer um poema sobre o Brasil. Só fiquei triste de saber por acaso, e não ter sido convidada por vc para vir apreciá-lo. Tudo bem, já estou me acostumando a ser maltratada. Ontem estive aqui, amigo, convidando-o para apreciar o meu novo post, um perto do outro, pensará vc. Mas fui obrigada a tanto. Não lhe posso falar agora, só preciso que vá mesmo. Não é preciso ler tudo, pois é imenso, leia o que interessar, e não se esqueça de levar as suas flores e de pôr um comentário. Mas não deixe de ir, por favor. Vc é um dos meus leitores preferidos.
Um beijo,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

daniel disse...

Renata

Tenho que te dizer: não consegui entrar no teu espaço!
Como também quete aprecio muito, espero faças a justiça de me desculpares.
Deixo um beijinho,
Daniel

Vivian Mag disse...

...beijos encantados de uma brasileira que ama Portugal, ora pois!! rss...muahhhhhhh

vero disse...

Que belo texto!!!

Beijinhos meu amigo

O Sussurrar do Corpo disse...

Um sussurro...

mundo azul disse...

Um belo e nostálgico momento!
Onde mesmo andarão esses amigos?

Por vezes, procuro meus amigos que não vejo a muito tempo...


Gostei de ler o seu canto sobre o Brasil!!!


Beijos de luz e o meu carinho...

Ana Diniz disse...

Querido Daniel,

sou descendente de italianos e portugueses. Tenho um pouco de vcs. Que acredito este "pouco" ser muito...

Como brasileira nata, e italiana nata, conforme a minha dupla cidadania, agradeço de coração este poema ao meu Brasil!

Estive na sua Franquia. Interessante. São publicações periódicas especializadas muito ricas. A gente aprende um bocado por lá. Eu tenho aprendido contigo, amigo Daniel... bastante.


Beijos kósmicos...

Nocturne lux!

Ana

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Daniel.

Obrigada pela homenagem nesta viagem - direto para a Praia de Copacabana, aqui no Rio.
O Cristo Redentor, de braços abertos, recebe você e todos os visitantes com muita alegria.

Uma excelente semana para você.

Beijos mil! :-)

xistosa - (josé torres) disse...

Que bela descrição em poema de nostalgia.
Não podemos viver de recordações, ou não devemos.
Aquele país imenso, intenso e que na pobreza consegue inventar alegria transbordante, continua lá, para onde partiram tantos dos nossos.
Hoje inverteu-se a situação.
A vida é mudança.
Os amigos partem, como nós um dia.
Até os inimigos se esvaiem.

Maria Dias disse...

Olá Daniel...

Passando para agradecer a tua visita no Avesso.

Um forte abraço

Laura disse...

este xistosa..até os inimigos se esvaem..certo, até nos esquecemos que os tivemos um dia... Dantes iamos nós em busca d eriqueza, agora voltam eles em busca da mesma, so que os tempos mudaram e já não há ouro enterrado...

NAELA disse...

Poema cheio de imagens e cores, que nos transportam para um Brasil imenso onde a amizade faz parte!
Beijo carinhoso

poetaeusou . . . disse...

*
imensobrasil,
uma mistura
do nosso gianca garcia
em fundo de sivuca,
,
abraço,
,
*

Carlos II disse...

Agradeço s/visita ao meu blog.

De facto ir a Peniche "fazer" a 4ª. classe a pé só naquela altura. Há quem fizesse na minha família nesses tempos, também a pé - Peniche- Atouguia da Baleia.

Gosto de Peniche.
É lá que passo os dias de Julho e fins-de-semana, às vezes.

Um abraço

Marta Vasil disse...

Viagem com geografia, com história, com recordações e saudades de amigos... Que bonita viagem de palavras!

MV

Carlos II disse...

Farei uma leitura mais atenta do seu blog e dos seus conteúdos, quando tiver mais tempo.

Atá breve.

GUILHERME PIÃO disse...

Como brasileiro gostei muito.
Parabéns.
Abraços

Nanda Assis disse...

gostei da homenagem...........

bjossss.................

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Já tinha vindo aqui antes e lido o seu lindo poema, mesmo sem vc me convidar. Eu sempre o convido quando faço um post, como agora.
São 3 horas da manhã. Mas como as coisas se acalmaram, fiz um post sobre um filme que todo mundo no mundo já viu e sempre vê de novo. Tirei aquele monte de flores e só deixei as do João. Esta postagem dá para ser bem apreciada.
Um abraço,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

daniel disse...

Carlos ii

Da Atouguia a Peniche, será metade do caminho!
Fui baptizado em S. Lenardo, nasci e vivi na Bufarda até 1960, fui inúmeras vezes a pé a Atouguia, até para fazer exame da 3ª classe, onde uma colega não passou. Foi no primeiro andar do prédio à direita da igreja de S. Leonado.
O cenário do meu poste de hoje - Galena - situa-se na Bufarda.
Daniel

Crisfonseca disse...

Olá Daniel,
uma viagem , uma história, um poema.
Belo, simplesmente belo.
Beijos,
Cris

Marianinha disse...

O Brasil está longe de ser um sonho, mas é um país de sonhos. Amo o meu Brasil.
O que estraga aqui são os homens lá de cima.
Um beijo