segunda-feira, 22 de setembro de 2008

POEMA DIAMANTES

DIAMANTES

Histórias mirabolantes

Estão na literatura que conhecemos

Dos cobiçados diamantes

No fundo são as pedrinhas

Que príncipes oferecem a princesas

Também reis ofertavam a amantes

Tudo jogatinas

Em reinos distantes

Polícias, ladrões, espiões, traficantes

Muitos cifrões

Num mundo de burlões

Parece tudo organizado

Num meio de muitas confusões

Para Diamantino, disseram um dia

Num país em guerra

Tudo o que vês é pedra

Não uma pedra qualquer

Esquece, mesmo que tropeces

Numa mais brilhante

Porque tudo é diamante

Nenhuma vês

Pode estar a espionagem

E faz-te a folha de vez


Visitando um museu

Foi como pisasse o chão, o que comoveu

Mais tarde alguém, Diamantino esclareceu

Gananciosos compravam todas as pedras

Que as guerras sustentavam

Porém uma parte

Sendo de diamante, não tinha quilate

Desfaziam-se por entre dedos num instante

E a guerra continuava incessante

Ninguém percebia, só porque tinham goela

Proibiam-se animais de capoeira

Talvez disfarçando qualquer asneira

Porque havia discriminação

Julgava-se que para a vida inteira

E os diamantes

Reluzentes, os verdadeiros

Embarcavam para mundos inteiros


Daniel Costa

31 comentários:

Marta disse...

Uma tema interessante num poema brilhante...
Obrigada pela visita...
Até já
Beijos e abraços
Marta

mundo azul disse...

...bem verdade! Como foi explorada essa terra...


Adorei seu poema, abordando um assunto bem interessante!


Beijos de luz e o meu carinho!!!

Nanda Assis disse...

que lindinho dani, ameii.

bjiosss...

o que me vier à real gana disse...

Os diamantes são eternos?... a poesia tb!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Daniel:
Nessa ânsia que toma conta de mim, sem ter notícias do meu irmão que está sendo operado há seis horas, tive tempo para fazer mais um post e duvido que vc tenha visto o filme. Apareça.
Um abraço,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

Ana Martins disse...

Tem razão Daniel,
histórias mirabolantes, mas não menos verdadeiras que a do post anterior ( curriculum)

Beijinhos

Ana Diniz disse...

Querido Daniel.


Percebo os diamantes no lado bom e no mau.

Diamantes provocam fascínio e ganância. Disputa e paixão.
Provocam-me...

Trata-se de pedras multifacetadas, que contêm a eternidade simbólica no brilho fino cristalino - o carbono mais dúctil já encontrado.



Profundo poema, amigo.
Diamantes aos olhos...


Bjos.

Ana

Olhos de mel disse...

Oie lindo! Um poema maravilhoso de histórias de vida! O diamente que brilha tanto, não é nosso, é do que a leva ao mundo, o itinerante...
Boa semana! Beijos

BIA disse...

As pedras sem brilho, as que ficam para trás, são tantas vezes as mais valiosas...

Quantas vezes são o assento dos pilares de todo um povo!

É pena que a ganância do Ter, tanta cegueira gere!


Abraço terno


BIA

Carla disse...

Voei até Angola...a primeira vez que vi um diamante a sair das águas de um rio
beijos

Laura disse...

Ah, já ancorei em Cabinda, a terra deles, já os comprei na áfrica do sul, aliás meu anel de noivado é de diamantes, pequenitos ehhhh, mas sim, lá viam-se muitos pois todo mundo gostava de ter uma pedrita no dedo..mas custa muitas vidas e ganãncia...
Beijinho

Bandys disse...

Daniel,
Que lindo...
Falar as verdades em forma de poesia é muito bom.

Vc sabe como gosto de posias...
beijos

poetaeusou . . . disse...

*
diamantes
sem quilate
exclusivo dos plebeus
não, não é disparate
podes ás amantes
porque diamantes, diamantes,
quem os tem, chama-os seus ...
,
abraço,
,
*

pin gente disse...

que interessante diamante!
dizem que são os "nossos melhores amigos" ... eu talvez os dispense de tal amizade!

um abraço, daniel

Lisa disse...

Oláaa daniel...

Lindo texto...vou esperar o meu principe com seus diamantes ...(brincadeirinha...) rsrsrs...

"Que a primavera traga muitas flôres com seus perfumes a todos os corações
e que os cantos dos pássaros alegre cada amanhecer e faça o amor florescer
cada vez mais na sua vida..."


Uma ótima semana super colorida e perfumada pra ti...

Beijossss...

Bia disse...

este poema é um verdadeiro ... diamante!!!

miminhos... atrevidos!

NAELA disse...

Poema interessante, diamantes que reflectem a luz na sabedoria de quem escreve!
Beijo terno

ANA DINIZ disse...

Daniel, querido.

Fico feliz. Tenho-te como amigo, e desde muito antes do início da história da minha estrela Nix, recebo-o como leitor. A sua presença sincera traz um prazer sem fronteiras para mim.

Vc é muito sensível e intelectualizado.

Fidelizar a sua leitura é indizivelmente cósmico.


Bjos da amiga.

Ana

jo ra tone disse...

Diamantes,
É o que hoje se oferece aos corruptos para pagar as cunhas.
Outrora, fora o azeite, o galo, o leitão, o cabrito.
Hoje não se contentam com menos.

Boa inspiração, bela poesia Daniel
Abraço

Iana disse...

Sementes no chão, nasce e cresce emoção
Um jardim sem flores não é jardim
O meu é, e, floresce a cada dia, mesmo estando ausente
Minhas maravilhosas flores me enchem de alegria....

Amigos (as) O meu muito “Obrigada” por fazerem parte desse meu lindo e encantado jardim, e por terem o regado sempre enquanto estive ausente... Ao ler os vossos recados, deixaram-me alegre e feliz.

Passei por dias difíceis, (saúde) é, a saúde dessa vossa amiga não anda lá muito boa e é por isso que as vezes preciso de me afastar.

Tenho dias que não consigo estar por cá e dar a todos os amigos leitores o carinho que tanto merecem, receber dessa vossa “Rosa Amiga” o cuidado, dedicação, amizade, carinho e atenção.

Venho agradecer a todos pelo carinho, apoio, dedicação, atenção e amor pelo meu espaço entre as flores e pela minha pessoa. “Obrigada”!

Estou voltando aos poucos, e espero mais uma vez a compreensão de todos se caso eu demore a responder ou visitar-vos, espero estar bem para então voltar a dar o melhor que sei dar a meus queridos (as) amigos (as)...

Beijos doces dessa sempre
Rosa amiga
Iana!!!

Delirium disse...

Já diziam antigos sábios: "Lucy in he sky with diamonds"
=)
Já viu o filme "diamante de sangue"? muito bom... recomendo

Quase Trinta disse...

poema lindo e real.. sobre essa pedra q despertou e desperta tanta ganância

Regi disse...

Olá amigo...
Faz tempo q não passo aqui no seu cantinho.
As coisas estão corridas, mas saiba q não me esqueci de vc...
Beijosss se cuida!!!

xistosa - (josé torres) disse...

Muitos diamantes reluziram nos disparos nocturnos e diurnos das guerras.
É o dinheiro num formato mais fácil de transportar, mesmo que seja mais difícil de transaccionar.
Mas quem sabe, sabe onde se depositam e onde se levantam as armas.
São os diamantes da morte.
Veja-se o caso de Angola, para não falar dos Congos e até da Namíbia, onde se morria por uma pedra.

JOICE WORM disse...

Obrigada por sua visita Daniel. Foi um presente de diamante!

ANA DINIZ disse...

Querido,

venha se envolver nos meus novos versos...

Bjos!

Laura disse...

Tenmho práqui uma vizinha cujo marido foi assassinado na Jamba por causa de diamantes, ele era negociante e...malditas pedras brilhantes..

o que me vier à real gana disse...

Olá, boa tarde! Bons comentários; excelente actividade por aqui. Sensibilidade para o sublime! É bom!

Crisfonseca disse...

Olá Daniel,
bela poesia.
Escrita de forma única, uma história poética,lapidada como o diamante.
Beijos,
Cris

Anja Rakas disse...

Daniel..Daniel...

No interior do diamante bruto, escuro e informe, fulgura uma estrela que aguarda ser arrancada a golpes de cinzel e lâminas lapidadoras.
Não há ninguém que não possua bondade interior. Há, nos refolhos da alma, a presença de Deus como luz coagulada, aguardando os estímulos da fora, a fim de brilhar com alta potência.
Joanna De Ângelis

Um beijo...com a rigidez de um diamante

Mariazita disse...

Daniel
Como consegues num poema tão lindo pôr a nú coisas tão negativas?
A contratar com a beleze, o brilho, a pureza dos diamantes, os sentimentos piores do ser humano!
Parabéns, amigo.
Um noite feliz.
Beijinhos
Mariazita